Em Portugal, o Governo decidiu aliviar as medidas de combate à Covid-19 durante a época natalícia. Apesar de já anunciadas, as regras para os festejos no Natal e Ano Novo estão dependentes da reavaliação da evolução da pandemia que será feita no próximo dia 18.

Caso o parecer seja favorável, as medidas em vigor até 7 de janeiro serão aliviadas entre os dias 23 e 26 de dezembro e no dia 1 de janeiro.

Assim, de acordo com o plano delineado pelo Executivo de António Costa, no Natal não há restrições de circulação entre concelhos e a 24 e 25 de dezembro o horário de recolhimento obrigatório será alargado até às 02h00. Além disso, o Governo não traçou um limite para o número de pessoas que se poderão reunir em contexto privado, recomendando apenas que não se junte um grande número de pessoas e que se privilegie o uso de máscara durante os convívios.

Na Passagem de Ano estão proibidas as festas públicas, os ajuntamentos de mais de seis pessoas na via pública e a circulação entre concelhos, salvo nas exceções previstas, entre a meia noite do dia 31 e as 05h00 do dia 4 de janeiro. Tal como com o Natal, o Governo absteve-se de colocar um limite ao número de pessoas que se poderão juntar para celebrar a entrada de 2021, apelando ao bom senso dos cidadãos.

Medidas

E no resto da Europa, como estão a ser planeadas as épocas festivas durante a pandemia?

Em Espanha, dez é o número de pessoas que se podem juntar em reuniões familiares e de amigos no Natal e Ano Novo, ao contrário da possibilidade de juntar seis atualmente em vigor. A circulação entre regiões será proibida entre 23 de dezembro e 6 de janeiro com exceção das visitas familiares. As restrições nas deslocações entre cidades e no horário de circulação foram adaptadas a cada região tendo em conta o número de casos positivos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Em França, Emanuel Macron tinha anunciado a possibilidade de um desconfinamento a partir do dia 15 de dezembro, submetendo o alívio das medidas à condição de, até essa data, os novos casos diários permanecerem abaixo dos cinco mil. No entanto, as infeções por Covid-19 registadas no país têm ultrapassado este limite em mais do dobro: nos últimos dias, foram confirmados entre 10 mil a 15 mil casos diários.

Em França, Emanuel Macron tinha anunciado a possibilidade de um desconfinamento a partir do dia 15 de dezembro, submetendo o alívio das medidas à condição de, até essa data, os novos casos diários permanecerem abaixo dos cinco mil. No entanto, as novas infeções por Covid-19 registadas no país têm ultrapassado este limite em mais do dobro.

Tendo em conta a evolução negativa da pandemia, esta quinta-feira, 10 de dezembro, o governo francês anunciou a imposição do recolher obrigatório entre as 20h00 e as 06h00 a partir de 15 de dezembro, uma medida que se irá manter pelo menos até meados de janeiro. A exceção será a noite de 24 de dezembro, em que é permitida a circulação depois das 20h00 para que se possam realizar as celebrações da Consoada nas quais se podem juntar um máximo de seis adultos, segundo anunciou o primeiro-ministro, Jean Castex.

Na noite de Passagem de Ano, não há aligeirar de medidas e o recolhimento obrigatório manterá o horário dos outros dias. Castex considera que permitir a circulação nesta noite seria reunir “todos os ingredientes para um regresso da epidemia”.

Tweet

De acordo com a agência de notícias Reuters, nos Países Baixos, o governo decidiu impor o limite de três visitantes adultos por casa durante o Natal. Restaurantes, bares e cafés irão continuar encerrados.  O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, anunciou que outras medidas poderão vir a ser anunciadas antes do Natal tendo em conta a evolução da pandemia.

Na Alemanha, a ministra da Saúde, Jens Spahn, anunciou a 8 de dezembro um conjunto de restrições apertadas numa tentativa de diminuir a disseminação do vírus. O governo federal já tinha anunciado em novembro que as medidas de confinamento iriam durar até 10 de janeiro, mas excluiu o período natalício da aplicação destas restrições. Serão permitidas reuniões até 10 pessoas, excluindo crianças.

Já na Suécia, país conhecido pela abordagem mais relaxada e pedagógica à pandemia, o governo e as autoridades de saúde recomendam que a partir do dia 14 de dezembro os contactos sociais sejam restringidos a oito pessoas no máximo, devendo dar-se preferência ao convívio entre família e amigos próximos. Além disso, os cidadãos suecos foram aconselhados a fazer compras sozinhos.

No Reino Unido, as medidas de combate à Covid-19 vão ser aliviadas durante a época natalícia e já foi anunciado que as famílias se podem reunir, entre os dias 23 e 27 de dezembro, até ao limite de três agregados familiares por casa formando uma “bolha de Natal temporária”. O governo aconselhou a uma reflexão pessoal do risco de reunião com familiares idosos e com pessoas que pertençam a grupos de risco. Os agregados que se reúnam durante este período ficam impedidos de deslocar-se a restaurantes, bares e outros espaços públicos fechados. As saídas ficam restringidas aos espaços públicos ao ar livre.

No Reino Unido, as medidas de combate à pandemia vão ser aliviadas durante a época natalícia e já foi anunciado que as famílias se podem reunir, entre os dias 23 e 27 de dezembro, até ao limite de três agregados familiares por casa formando uma “bolha de Natal temporária”.

Na Grécia, os restaurantes, tribunais e escolas vão continuar fechados até dia 7 de janeiro. Irá manter-se o recolhimento obrigatório entre as 21h00 e as 05h00, bem como estão impedidas as deslocações entre regiões até ao próximo mês, anunciou o governo local a 7 de dezembro.

Os italianos, por outro lado, só se podem deslocar entre regiões em caso de emergência durante a época das festividades. O período de restrição de circulação entre regiões em Itália terá início a 21 de dezembro e só termina a 6 de janeiro. As missas da meia-noite na Consoada serão vedadas ao público e os mercados de Natal foram suspensos.

Nos convívios de Natal na Bélgica apenas será permitido a cada agregado familiar reunir-se com mais uma pessoa. Aqueles que vivem sozinhos poderão passar as festividades com mais duas pessoas. Na Passagem de Ano, os fogos de artificio vão ser proibidos em todo o país na tentativa de evitar ajuntamentos nas ruas. Viagens ao estrangeiro estão também a ser desaconselhadas.

Na Suíça, o governo já recomendou que os ajuntamentos sejam limitados a dez pessoas durante as festividades, alertando que não se deverão reunir mais de dois agregados familiares. No último dia do ano será permitido aos restaurantes o encerramento à 01h00 em vez de às 22h00, a hora de fecho em vigor. Em Genebra, todo o comércio não essencial estará encerrado durante o período das festividades.

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
International Fact-Checking Network