O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Vai à JMJ? 10 cuidados para proteger a sua saúde

Espera-se mais de um milhão de peregrinos na Jornada Mundial da Juventude que arranca dia 1 de agosto em Lisboa. Se faz parte deste grupo, conheça 10 cuidados a ter para proteger a sua saúde durante o evento.
Os participantes da Jornada Mundial da Juventude que vão encher as ruas de Lisboa na primeira semana de agosto esperam que o ambiente do evento seja de alegria e de celebração. No entanto, no meio de tanta gente e debaixo do sol de agosto, há precauções a tomar para que a experiência seja memorável pelas melhores razões.

Em declarações ao Viral, o médico de Saúde Pública Mário Jorge Santos aponta dez cuidados a ter para uma Jornada Mundial da Juventude tranquila e saudável.

1 – Estar à sombra e usar chapéu

Para Mário Jorge Santos, tendo em conta que a Jornada Mundial da Juventude acontecem em agosto, “a exposição ao sol e ao calor pode ser, talvez, o principal fator de risco” neste evento.

Por isso, sustenta, é fundamental procurar estar à sombra e usar  “coberturas”, tais como “chapéus” –  “de preferência, de abas largas, para dar a maior proteção possível”.

2 – Usar protetor solar “como se estivesse na praia”

Proteger a pele das queimaduras solares vai além dos cuidados com o vestuário e com os acessórios. Tendo isso em conta, o médico entrevistado pelo Viral recomenda que cada peregrino aplique “protetor solar antes de sair de casa”, repetindo este passo “com regularidade” ao longo do dia. No fundo, “como se estivesse na praia”.

3 – Evitar bebidas alcoólicas ou açucaradas

“Muito cuidado com as bebidas”, alerta Mário Jorge Santos. O especialista em Saúde Pública explica que “as bebidas alcoólicas contribuem para a desidratação”. Logo, “não devem ser consumidas durante o dia, enquanto está calor”.

O mesmo se aplica às bebidas açucaradas, que devem ser “evitadas”.

Por outro lado, deve “dar preferência ao consumo de água ou de sumos naturais”.

4 – Parar quando está cansado

Nas peregrinações, marchas e procissões do evento, há uma regra de ouro: saber identificar os sinais de cansaço.

“Este evento tem longas marchas. Por isso, uma recomendação muito importante é que, se a pessoa estiver cansada, é melhor parar a marcha, descansar e depois retomar”, adianta Mário Jorge Santos.

Isto porque, esclarece o médico, “o cansaço é um sinal do organismo a dizer que é altura de pararmos e descansarmos”.

5 – Conhecer bem os trajetos

“Outra indicação muito importante é as pessoas conhecerem bem os trajetos, porque a situação vai ser bem confusa e é possível que haja pessoas que se percam”, avisa o médico de Saúde Pública.

Mas o que é que este conselho tem que ver com a saúde? Mário Jorge Santos explica: Quando alguém se perde, encontrar-se novamente com o grupo pode obrigar “a um esforço adicional além do que vai ser feito nas Jornada, principalmente se estiverem temperaturas elevadas”.

Além disso, “procurar pessoas no meio da multidão pode causar stress”. Se os trajetos estiverem bem memorizados e planejados, a probabilidade de isso acontecer é mais baixa.

6 – Não se esquecer dos medicamentos

“Quem tiver uma doença crónica, deve ter os medicamentos para ela”, recomenda Mário Jorge Santos.

Além de “trazer uma farmácia ambulante” com todos os fármacos de que precisa, é fundamental “saber como os pode adquirir” e como “aceder aos serviços de saúde portugueses no caso de tal ser necessário”.

7 – Ter cuidado com o que leva no farnel

Quando as temperaturas estão mais elevadas, os alimentos “têm tendência a deteriorar-se rapidamente”. Por isso, refere o especialista, “quem faz farnéis, tem de ter cuidado com o que leva”.

O ideal é evitar “alimentos que necessitem de frigorífico” ou consumi-los “imediatamente após serem retirados” do frio.

“Há alimentos que são totalmente de evitar: maioneses (principalmente caseiras), fiambres e todo esse género de alimentos que se deterioram rapidamente em condições destas”, reforça.

8 – Conhecer as linhas do INEM e do SNS 24

Conhecer a linha do INEM que corresponde ao número europeu de emergência (112) e a linha SNS 24 (808 24 24 24) e saber em que circunstâncias deve ligar para cada uma delas é também uma medida protetora da saúde.

Para saber em que situações deve usar cada uma destas linhas, pode consultar este artigo do Viral.

9 – Saber a sua localização exata

Noutro plano, é fundamental saber “onde vai ficar” e saber “indicar a sua localização corretamente”. Isto porque, numa situação de emergência, é importante conseguir explicar ao INEM exatamente onde está para ser socorrido o mais rapidamente possível.

“Isto para quem é da cidade de Lisboa é fácil, mas para um estrangeiro ou para pessoas de outras regiões do país pode ser mais difícil localizar-se com todo o rigor”, adianta Mário Jorge Santos.

10 – Está doente? Não vá às cerimónias

Como as características deste evento não permite evitar aglomerações na maior parte dos casos, “quem tiver doente, não deve ir às cerimónias”, afirma o especialista.

“Deve assistir à distância, embora isso possa ser muito incómodo para quem vem de longe”, acrescenta.

Caso tenha sintomas gripais, conclui o médico, “deve usar máscara e tentar manter uma distância de segurança”.

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque