Com o aumentar do número de casos de coronavírus 2019-nCoV, cresce também o número de publicações nas redes sociais que oferecem conselhos e curas milagrosas. Numa pequena lista intitulada “orientações de prevenção do Corona Vírus”, surgem sete pontos: “usar álcool em gel”, “tomar vitamina C”, “lavar as mãos várias vezes ao dia”, “evitar locais de multidão”, “comer fígado de boi”, “ingerir sucos de acerola e laranja” e, finalmente, “tomar chá de erva-doce duas vezes ao dia”.

Contactada pelo Polígrafo, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, identificou quais destas recomendações são reais e aconselháveis à população e quais as que não passam de mitos. “As únicas que são verdadeiras têm a ver com a higiene e a distância social de outras pessoas. Isso é verdade por causa da via de transmissão do vírus. Se o vírus passa de uma pessoa para outra, obviamente quanto mais longe estivermos uns dos outros melhor. Mas o resto é tudo mentira”, esclareceu.

Os pontos “lavar as mãos várias vezes ao dia” – incluindo o “usar álcool em gel” como forma de higienizar as mãos – e “evitar locais de multidão” são recomendações que também fazem parte das informações publicadas pela Direção-Geral da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “Deve-se lavar as mãos. Com água e sabão é a primeira recomendação, com solução alcoólica é outra porque o vírus pode passar do nosso nariz ou da nossa boca se houver infeção disseminada. Mas não é agora, nesta fase que nós estamos em Portugal”, clarifica a diretora-geral de saúde. Em Portugal não foi confirmado até ao momento nenhum caso de coronavírus.

coronavirus
Fonte: Direção-Geral da Saúde
Se o vírus passa de uma pessoa para outra, obviamente quanto mais longe estivermos uns dos outros melhor. Mas o resto é tudo mentira”, esclarece a diretora-geral da Saúde.

Por outro lado, os conselhos que se seguem na lista – nomeadamente “comer fígado de boi”, “ingerir sucos de acerola e laranja” e “tomar chá de erva-doce duas vezes ao dia”, já entram no “domínio do esotérico”, segundo Graça Freitas. “Nada disso tem qualquer evidência científica ou nada que se pareça”, continua, referindo ainda que “tirando a ideia de que em qualquer situação devemos manter-nos hidratados, não é com um chá específico que se contraria o vírus”.

O coronavírus 2019-nCoV surgiu em finais de dezembro na cidade de Wuhan, na China. Segundo os últimos dados divulgados, nó em território chinês já matou 722 pessoas e contaminou 34.546.

“Ainda não se sabe qual foi o animal que originou a passagem para a espécie humana. Isso continuamos sem saber e era importante descobrir porque é possível atuar mais atrás na infeção”, diz Graça Freitas.

Apesar de estar ainda em estudo a forma de transmissão do 2019-nCoV, já existem algumas informações que podem ajudar a prevenir o contágio: “das pessoas para as pessoas sabemos que é [passado] por gotículas – pelo espirro, pela tosse e até pela fala. Pensa-se que distância de segurança seja de cerca de dois metros”, explica a diretora-geral de Saúde. “Se essas gotículas ficarem numa superfície, o vírus mantém-se viável durante algum tempo e pode também haver contaminação de superfície. Mas a via principal de transmissão é de uma pessoa para outra por gotículas”, reforça. “Ainda não se sabe qual foi o animal que originou a passagem para a espécie humana. Isso continuamos sem saber e era importante descobrir porque é possível atuar mais atrás na infeção”, conclui Graça Freitas.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
International Fact-Checking Network