Primeiro, o título alarmista...

"PEDIDO DE AJUDA URGENTE!"

Logo a seguir, o apelo lancinante...

"Este homem deu entrada hoje no Hospital Beatriz Ângelo em Guimarães sem qualquer tipo de identificação e com aparente perda de memória.
Partilhem para que possamos encontrar a família!"

E depois a reação esperada: entre sábado, 9 de fevereiro, e as 19h de hoje, 11, a foto de um homem deitado uma marquesa, aparentemente inanimado, foi partilhada 33 mil vezes no Facebook (até às 19h45 de hoje) e gerou perto de dois mil comentários, tornando-se num fenómeno de viralidade.

Tudo isto seria normal, não fosse dar-se o caso de se tratar de uma publicação falsa. Um olhar mais atento ao post permite tirar duas conclusões razoavelmente simples:

  • O homem em causa é ator da conhecida série televisiva "Walking Dead" e a imagem retrata uma passagem de um dos seus episódios.
  • O hospital mencionado no texto - o Beatriz Ângelo - situa-se em Loures; não em Guimarães.

Por outro lado, uma visita rápida à página em que o post foi publicado permite perceber que se trata de um espaço em que Nuno Folgado, o seu autor, partilha frequentemente conteúdos humorísticos.

Esta não é a primeira vez que Nuno Folgado - que tem uma comunidade de seguidores muito restrita (o que faz com que a viralidade das suas publicações seja ainda mais impressionante) - perde o controlo de um post. Em novembro de 2018, a imagem de um alegado jovem "génio" português, oriundo de Torre de Moncorvo,  que ficara em segundo lugar nas Olimpíadas de Física Quântica, gerou uma onda de euforia e consternação no Facebook que resultou em mais de 90 mil partilhas, acompanhadas de comentários marcados por muita comoção e alguma revolta pelo facto de um talento tão grande ser desprezado "no país dos Ronaldos e dos Mourinhos" - um país incapaz de valorizar os talentos que produz em áreas que não a do futebol. Na verdade, Tiago, o rapaz-prodígio, era Jordi, um ator pornográfico espanhol sem feitos conhecidos no domínio das ciências exatas.

"Partilham os conteúdos sem os ler e isso é muito perigoso. No meu caso, são coisas inocentes, mas há outras nada inocentes, com teor político extremista, a serem igualmente partilhadas sem critério", diz Nuno Folgado ao Polígrafo.

Nessa ocasião, o Polígrafo entrevistou Nuno Folgado. Entre outras coisas, o autor, de 44 anos, segurança de profissão, afirmou que faz o que faz apenas para se divertir, sem pensar demasiado nas consequências. Agora, o homem que gosta de se designar como "Tony Carreira do Facebook" repete o argumento: "Apeteceu-me fazer isto, achei que tinha graça. Nunca pensei que me viesse a valer tantos insultos."

De facto, entre os quase dois mil comentários que a publicação já gerou contam-se centenas em que Folgado é insultado. As pessoas - as que não partilharam ou as que partilharam ao engano - não se inibiram de expressar a sua revolta. Nada que tire o sono a Nuno: "Trata-se de uma publicação inocente que não prejudica ninguém, tal como já tinha acontecido com a do 'Tiago'. Inicialmente tinha a correta localização do hospital, mas até mudei para que as pessoas percebessem que era invenção. Nem assim resultou..."

"Foi assim, à custa da ignorância e da irresponsabilidade de quem partilha sem ler, que fenómenos como Trump ou Bolsonaro emergiram. Em Portugal está a acontecer o mesmo", afirma o autor.

Mais a sério, Nuno Folgado reflete sobre a relação que as pessoas têm com o Facebook e com a internet de uma forma geral: "Partilham os conteúdos sem os ler e isso é muito perigoso. No meu caso, são coisas inocentes, mas há outras nada inocentes, com teor político extremista, a serem igualmente partilhadas sem critério. Foi assim, à custa da ignorância e da irresponsabilidade de quem partilha sem ler, que fenómenos como Trump ou Bolsonaro emergiram. Em Portugal está a acontecer o mesmo", afirma, para concluir: "Hoje, tal qual o mundo está e tendo em conta a capacidade de disseminação de mensagens que caracteriza as redes sociais, as pessoas deviam ter uma habilitação qualquer para navegarem na internet, um equivalente à carta de condução para automóvel."

Nota: Este artigo sofreu uma alteração às 21h26, com a inclusão da cidade de Loures - e não a de Lisboa - como localização do Hospital Beatriz Ângelo.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.