1 - Podemos pegar nas chávenas de café ou nos talheres num restaurante?

Todos os restaurantes devem cumprir as normas do HACCP para poderem estar abertos ao público. Os restaurantes devem cumprir regras de higiene e desinfeção, e estar dotados de máquinas de lavar loiça que atinge altas temperaturas. Quando lavados com detergente e com água quente estes objetos não representam qualquer risco de infeção para as pessoas. Depois de tomar o café e depois de comer, lave as mãos ou esfregue-as com uma solução à base de álcool durante 20 segundos.

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro, mas...

2 - As crianças também transmitem a doença?

Sim, as crianças infetadas com SARS-CoV-2 ou que estejam em fase de incubação também transmitem a doença. Pela acentuada proximidade entre as crianças, o contacto muito próximo durante a brincadeira e partilha de brinquedos com gotículas e secreções, podem ser um grande transmissor da COVID-19. Como as crianças mais pequenas são vulneráveis e não têm ainda a capacidade de se defenderem e de tomarem decisões sobre a sua própria proteção, dependem dos adultos para isso.

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro

coronavirus
créditos: Pixabay

3 - É imprescindível fazer um teste de despiste?

Não se deve fazer o teste em qualquer circunstância. Telefone para a Linha SNS24 e será orientado(a) sobre as medidas a tomar, inclusive, sobre a necessidade ou não de fazer o teste. Se estiver com febre, tosse ou dificuldade respiratória e tiver estado emcontacto com uma pessoa infetada por COVID-19, ou tiver regressado nos últimos 14 dias ou residir numa área afetada, deve ligar para o SNS24 (808 24 24 24). Após este contacto e validação da história clínica, o médico validador irá determinar se é necessário ser testado para COVID-19. Todos os casos suspeitos validados (que preencham os critérios de infeção respiratória aguda e critérios epidemiológicos) são testados. Estes testes podem ser realizados no SNS e em laboratórios privados.

Avaliação do Polígrafo: Falso

Pela acentuada proximidade entre as crianças, o contacto muito próximo durante a brincadeira e partilha de brinquedos com gotículas e secreções, podem ser um grande transmissor da COVID-19.

- Um fumador tem mais possibilidades de não resistir ao vírus do que um não fumador?

Um fumador de longa data já apresenta alterações pulmonares que podem estar associados a quadros de pneumonia em caso de infeção por COVID-19.

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro

5- E quanto aos fumadores passivos, também estão mais fragilizados? Se sim, quantas vezes mais relativamente a uma pessoa “normal”?

É preciso avaliar os riscos clínicos caso-a-caso, porque a resposta de cada indivíduo à infeção vai ser muito variável. No entanto, sabe-se que uma pessoa exposta a fumo passivo durante 8 horas por dia tem riscos semelhantes aos de uma pessoa que fume 10 cigarros.

coronavirus
créditos: Pixabay

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro

Um fumador de longa data já apresenta alterações pulmonares que podem estar associados a quadros de pneumonia em caso de infeção por COVID-19.

6- Pode partilhar-se tabaco com outra pessoa?

Não – não deve partilhar com outras pessoas, quaisquer objetos de uso pessoal, incluindo o tabaco.  A transmissão do vírus faz-se através das nossas mucosas (boca, olhos e nariz).

Avaliação do Polígrafo: Falso

7 - Podemos partilhar copos de bebida?

Não – não deve partilhar com outras pessoas, quaisquer objetos de uso pessoal, incluindo os copos de bebidas. A transmissão do vírus faz-se através das nossas mucosas (boca, olhos e nariz).

Avaliação do Polígrafo: Falso

Sabe-se que uma pessoa exposta a fumo passivo durante 8 horas por dia tem riscos semelhantes aos de uma pessoa que fume 10 cigarros.

8 - É necessário ter os 3 sintomas mencionados (febre, tosse seca e dificuldade pulmonar) ou basta um ou dois deles? Por exemplo, se tiver tosse e dificuldade em respirar mas não tiver febre, deverei ligar para a Linha saúde 24 na mesma?

Neste momento existem três situações em que um caso pode se considerado suspeito para COVID- 19.

  • Doente com infeção respiratória aguda (início súbito de febre ou tosse ou dificuldade respiratória), sem outra doença que explique os sintomas + história de viagem ou residência em áreas com transmissão comunitária ativa, nos 14 dias antes do início de sintomas;
  • Doente com infeção respiratória aguda + Contacto com caso confirmado ou provável de infeção por SARS-CoV-2 ou COVID-19, nos 14 dias antes do início dos sintomas;
  • Doente com infeção respiratória aguda grave, requerendo hospitalização, sem outra causa associada.

Nestes casos, deve ligar à Linha SNS24 e contar a sua situação e aguardar que lhe deem indicações de como poderá agir.

Avaliação do Polígrafo: Falso

9 - Os doentes tratados ficam imunizados ou podem ser novamente infetados?

Existe evidência de que o organismo humano vai ganhando imunidade após contacto com o vírus, após contrair doença, efeito esse que pode ser ampliado quando houver uma vacina. Mas como existe a possibilidade de o vírus sofrer mutações ainda não há certezas definitivas sobre o assunto.

Avaliação do Polígrafo: Impreciso

coronavirus
créditos: Pixabay

10 - As grávidas devem ter cuidados especiais?

Segundo a atual evidência, não há indicação de que as grávidas estejam em maior risco associado à COVID-19. No entanto, sabe-se que as grávidas têm maior risco de morbilidade severa e mortalidade por algumas doenças respiratórias como a gripe ou a SARS. Por isso, devem ser consideradas enquanto grupo de risco e ter cuidados especiais de prevenção da infeção, à semelhança, por exemplo, dos idosos.

As grávidas devem cumprir as medidas de afastamento ou isolamento social preconizadas pela Direção-Geral de Saúde. Manter-se em casa e só sair de casa se for estritamente necessário.

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro

11 - O vírus pode sobreviver durante vários dias em superfícies sólidas e em tecidos?

Sim, se estas superfícies não forem limpas e desinfetadas com frequência. Na nossa própria casa ou em espaços públicos a frequência de limpeza deve ser aumentada, precisamente para que não haja acumulação de vírus nas superfícies. Deve utilizar-se detergente e desinfetante comum de uso doméstico – é suficiente usar lixívia ou álcool.

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro

12 - As crianças e jovens diabéticos tipo 1 (insulino-dependentes) são considerados de risco?

Sim. Quaisquer pessoas com diabetes, independentemente da sua idade, têm sempre um maior risco, se ficarem doentes com COVID-19, embora o risco seja sempre superior nos mais idosos. Uma criança ou jovem com diabetes tipo 1, pela sua doença, apresenta um risco superior ao de uma criança ou jovem saudável.

Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro

13 -  Uma pessoa com o vírus, mas assintomática, consegue contagiar outra?

Ainda está em estudo, mas a literatura aponta para uma probabilidade muitíssimo baixa de uma pessoa assintomática transmitir o vírus.

Avaliação do Polígrafo: Impreciso

14 - O contágio pode ser dar-se pelo ar, durante um passeio ou uma qualquer deslocação?

O contágio não se dá pelo ar, mas sim através de secreções respiratórias ou gotículas e durante a realização de procedimentos médicos invasivos produtores de aerossóis. As gotículas que essa pessoa expele podem entrar diretamente para a boca, olhos ou nariz e provocar infeção.

Cumprir o distanciamento social aconselhado pela Direção-Geral da Saúde ou ficar em casa são boas medidas para prevenir a infeção nesta fase.

Avaliação do Polígrafo: Falso

coronavirus
créditos: Pixabay

15 - Tocar em superfícies metálicas ou em corrimões é suficiente para apanhar o vírus?

As superfícies metálicas ou outras não transmitem diretamente o vírus. Só transmitem o vírus se se tocar com as mãos numa superfície suja ou com secreções respiratórias ou gotículas e se levar as mãos à boca, ao nariz ou aos olhos – se forem lavadas regularmente, evita-se este contágio.

Avaliação do Polígrafo: Falso

16 - A doença dura o mesmo tempo em todas as pessoas?

Não. Pode durar até cinco semanas. A duração depende de cada doente, do seu sistema imunitário e de haver ou não doenças crónicas associadas, que alteram o nível de risco.

Avaliação do Polígrafo: Falso

17 - Se não teve qualquer contacto com alguém infetado, para além de cumprir com o distanciamento social, deve ficar em casa?

Se lhe foi determinado o isolamento profilático, deve ficar em casa. Se tiver de sair à rua, evite o contato próximo com pessoas ou em ambiente fechado. O distanciamento social, enquanto medida de saúde publica, aplica-se pelo princípio da precaução, para prevenir a eventual exposição a pessoas infetadas.

Avaliação do Polígrafo: Falso

coronavirus
créditos: Pixabay

18 - É seguro levantar dinheiro numa caixa de multibanco?

Sim, mas com muitas precauções. Depois de retirar o dinheiro da máquina e o guardar na carteira lave as mãos com água e sabão ou esfregue bem as suas mãos durante 20 segundos com solução à base de álcool.

De preferência, pague as suas compras com cartão multibanco, em que só o próprio toca, evitando assim ir muitas vezes ao multibanco. Se não tiver consigo a solução à base de álcool ou água e sabão por perto, tente não levar a mão aos olhos, boca ou nariz, Assim que chegar a casa lave as mãos com água e sabão durante 20 segundos.

 Avaliação do Polígrafo: Verdadeiro, mas...

***

Nota editorial: este artigo foi produzido pela redação do Polígrafo e cientificamente validado pela Direção-Geral da Saúde, no âmbito de uma parceria estabelecida entre as duas entidades a propósito de um tema que se reveste de um inquestionável interesse público.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
International Fact-Checking Network