Meghan Markle e o príncipe Harry revelaram hoje, via Instagram, o nome que escolheram para o seu primeiro filho: Archie Harrison Mountbatten-Windsor – assim se chama o primogénito dos duques de Sussex. O bebé real nasceu na passada segunda-feira, pelas 5h26, com 3,260kg.

Archie é um diminutivo de Archibald, nome sem tradição no seio do clã real. Derrotadas, ficaram todas as apostas sobre nomes que vinham sendo lançadas pelas casas de apostas nos últimos tempos, com Arthur, James ou Alexander apresentadas como as hipóteses mais prováveis.

Com o nascimento e a revelação do nome terminam assim todos os rumores que circularam no espaço público, sobretudo nas redes sociais, sobre a gravidez e todos os temas que lhe estão associados.

Terminaram mesmo?

Não, não terminaram, porque o mais recente rumor colocado a circular pelas redes sociais e pelos tablóides britânicos assegura que a gravidez de Meghan é “fake”desde o início e que Archie Harrison é filho de outra mulher, tendo sido agora entregue ao casal real. Como provas, os promotores do boato – que até criaram a hashtag #megshit – apresentam vários indícios, dos quais o mais importante será o facto de o anúncio do seu nascimento não estar assinado por um médico, o que será um sintoma “seguro”de que estamos perante uma fraude.

De facto, sempre que nasce um bebé na família real, há um cavalete dourado cerimonial que, durante 24 horas, é afixado nas proximidades da residência oficial da Rainha. Objetivo: que as pessoas que passam nas imediações do Palácio de Buckingham tomem contato com o documento. Em cima do cavalete, encontra-se uma mensagem emoldurada com o texto do anúncio oficial. No caso de Archie, o texto é este: “A Rainha e a Família Real estão encantadas com a notícia de que Sua Alteza Real, a Duquesa de Sussex, deu à luz hoje às 05h26. A Sua Alteza Real e seu filho estão bem.” Ao contrário do que aconteceu com Kate e William, por exemplo, o documento não se encontra assinado por um clínico nem menciona o local de nascimento.

fake news

Todo o processo da gravidez de Meghan Markle foi um maná para os produtores de boatos. Alguns tornaram-se virais em todo o mundo. Fique com os quatro mais disseminados:

1 – Meghan Markle seria mãe de gémeos

A especulação foi forte e alimentou muitas primeiras páginas da imprensa tablóide até há bem pouco tempo. Agora, que o bebé já foi apresentado ao mundo, a dúvida extinguiu-se.

fake news

2 – Meghan Markle ia fazer o parto em casa, debaixo de água

Quando a gravidez chegou ao terceiro trimestre, começou a circular este rumor. Aparentemente, Meghan, à imagem do que sucedeu com a rainha Isabel, desejava ver nascer o filho em casa. Afinal, o que aconteceu é que Archie nasceu no Portland Hospital, uma unidade privada situada em Londres.

3 – Meghan Markle estava grávida quando casou

Este foi um dos boatos mais fortes. Surgiu logo no dia do casamento, quando desfilou no seu vestido Givenchy. Uma vez mais, a história encarregou-se de desmentir as redes sociais. Se Megan estivesse grávida em maior de 2018, já teria sido mãe há muito.

4 - Na verdade o bebé já nasceu há pelo menos duas semanas 

No momento em que divulgou publicamente aos jornalistas o nascimento do filho, Harry foi interrogado sobre o seu aspeto. A resposta deu azo a especulações: "As crianças mudam muito em duas semanas..."

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.