O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Os destinos turísticos mais sustentáveis

Euromonitor International elaborou ranking dos países e cidades mais amigos do ambiente enquanto locais de turismo. Portugal e Lisboa estão bem classificados.

A Europa – e nesta, o norte – dominam o ranking das viagens sustentáveis (por países) realizado pelo Euromonitor International. Dos 20 primeiros classificados do “Sustainable Travel Index”, 19 são do velho continente, sendo que nos 5 primeiros lugares, estão 4 nações do Norte da Europa (Suécia; Finlândia, Estónia e Noruega).

Relativamente à classificação de 2021/22, a Suécia mantém o 1.º lugar; a Finlândia passou para o 2.º, trocando de posição com a Áustria; a Estónia (4.º lugar) subiu 5 lugares e a Noruega (5.º lugar) subiu 1 lugar. Eslovénia (caiu 3 lugares) e Eslováquia (1 lugar) protagonizaram as saídas dos 5 primeiros postos.

Já Portugal ficou no 16.º lugar (subiu uma posição), à frente de Espanha, Itália e Reino Unido. O único país não europeu no top-20 é o Uruguai, 18.º lugar (trepou 15 postos).

Sustainable Travel Index (Ranking de países)

Lugar País
1.º Suécia
2.º Finlândia
3.º Áustria
4.º Estónia
5.º Noruega
16.º Portugal

No ranking da mesma natureza mas respeitante às cidades, a australiana Melbourne é a líder (estabeleceu como objetivo atingir zero emissões líquidas de carbono até 2040), seguida das espanholas Madrid e Sevilha. A completar o top-5, duas capitais do Norte da Europa – Estocolmo (Suécia) e Tallinn (Estónia). Lisboa ocupa também um lugar cimeiro (9.º), embora descendo quatro posições quando comparado com a classificação obtida em 2021/22. As outras quatro cidades com presença no leque das 10 mais sustentáveis enquanto destino turístico são Toronto/Canadá (6.º); Palma de Maiorca/Espanha (7.º); Las Vegas/Estados Unidos (8.º) e Munique/Alemanha (10.º).

Sustainable Travel Index (Ranking de cidades)

Lugar Cidade
1.º Melbourne
2.º Madrid
3.º Sevilha
4.º Estocolmo
5.º Tallinn
9.º Lisboa

Caroline Bremner, Head of Travel da Euromonitor International, enuncia a forma e os critérios como são elaboradas estas classificações: “O nosso Índice de Viagens Sustentáveis utiliza 56 indicadores distribuídos por sete pilares – Ambiental, Social, Económico, Risco, Procura, Transporte e Alojamento – determinando o desempenho comparativo das viagens e turismo sustentáveis para 99 países através de pontuações e ponderações para produzir uma classificação geral. Existem três tipos principais de indicadores. a saúde de um destino relaciona-se com a felicidade, a igualdade e a justiça social; depois os impactos específicos do turismo no ambiente local, como a utilização de energia no hotel; seguido do estado geral do turismo, como a qualidade das infraestruturas ou a dependência da procura internacional.  Olhando para o futuro, o Índice de Viagens Sustentáveis destaca a tecnologia verde e a digitalização da viagem do viajante como duas formas infalíveis de ajudar a alcançar o caminho para o carbono zero.”

Uma nota ainda sobre a disponibilidade generalizada das pessoas para ter custos acrescidos como forma de garantir uma maior sustentabilidade: 79% dos inquiridos do “Sustainable Travel Index” aceitam pagar 10% mais pelas suas viagens em nome destes objetivos e 41% estão mesmo recetivos a que esse agravamento seja de 30% .

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes