O primeiro jornal português
de Fact-Checking

As cidades mais desejadas neste verão

Consultora fez o levantamento dos destinos mais procurados para efetuar viagens de avião em julho e agosto. Lisboa está entre as 10 primeiras do ranking. Três outras cidades portuguesas figuram no top-100. Oriente a recuperar terreno perdido nos últimos três anos.

Lisboa é a sétima cidade do mundo (e quarta da Europa) mais procurada para fazer turismo neste verão. A capital portuguesa, ainda assim, desceu um lugar relativamente a 2022. O ranking é liderado por Banguecoque, sendo a urbe tailandesa seguida por Paris, Londres, Bali, Barcelona e Nova Iorque. Atrás de Lisboa, a fechar o top-10, estão Istambul, Madrid e Atenas.

A classificação foi elaborada pela ForwardKeys –  consultora da indústria de aviação e especialista em viagens – e publicada no seu estudo “The most popular city destinations in summer 2023”, baseada nos dados de pesquisa de voos dirigida ao período compreendido entre 1 de julho e 31 de agosto.

quadro

Porto (31º), Faro (43º) e Funchal (84º) são os outros concelhos lusos no top-100 do mundo. No entanto, foram as cidades da Ásia-Pacífico que reconquistaram a atenção dos viajantes neste verão. No top-15, surgem cinco desta região (em 2022, eram apenas duas), sendo este o panorama global: Europa 9; Ásia 5 e América 1.

Espanha é o país que tem mais cidades (sete) no top-100: Barcelona, Madrid, Palma de Maiorca, Málaga, Alicante, Ibiza e Valência. Itália (com seis) e Estados Unidos e Alemanha (ambos com cinco) são as outras nações mais representadas.

Nos destinos que registaram uma maior subida no ranking de 2022 para 2023 há uma presença massiva do Oriente: das 15 cidades, 12 pertencem à Ásia ou Oceânia, uma aos Estados Unidos (Las Vegas) e duas à Europa. O Funchal é uma delas, precisamente a 15ª que mais progrediu na classificação (passou do 99º para o 84º lugar). A outra cidade europeia é Tirana, capital da Albânia, que deu um salto do 60º para o 40º posto. As três maiores ascensões foram as de Taipé (161 lugares), Hong Kong (129) e Seul (56). Sydney (21 posições), Melbourne (31 posições) e Auckland (41) estão igualmente neste top-15 de “saltos” no ranking.

quadro

Apesar da intensificação, de 2022 para 2023, deste veículo por excelência do turismo, os níveis de procura de destinos para viajar de avião pré-pandemia ainda não foram totalmente recuperados, revela o estudo da ForwardKeys, após a análise às milhões de pesquisas efetuadas em agências de viagens online, companhias aéreas e plataformas como Google Flights, Kayak, Kiwi.com, Skyscanner ou Wego. Quando se compara o verão de 2019 com o de 2023, somente Estados Unidos (+11 por cento) e Canadá (+4 por cento) registaram crescimento. A média mundial permanece em níveis de contração (-13 por cento), com a UE ainda 11 por cento abaixo dos níveis do verão anterior à eclosão da COVID-19.

Quanto ao género de turismo que motiva a viagem – inferido pelo destino e que pode não ser exclusivo –, comparando 2023 com o 2022, verifica-se uma enorme subida no de compras/grande consumo (53 por cento), mas também no de natureza (45 por cento) e no urbano (42 por cento) e de sol/praia (22 por cento).

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque