(conteúdo patrocinado pela marca e desenvolvido pelo P. Studio)

Em 2018, várias companhias aéreas registaram atrasos de pelo menos 15 minutos em mais de 30% dos seus voos, segundo um estudo da consultora OAG.
Um voo atrasado pode ter consequências graves na vida de um passageiro. E ao que parece o fenómeno está a ganhar escala em todo o mundo. No Reino Unido estima-se que um em cada quatro voos chegue atrasado ao seu destino.
Em Setembro de 2018 a Eurocontrol registou um aumento em 20,1% no número de voos atrasados face a 2017.
De acordo com projeções da mesma entidade, em 2035 é esperada a circulação de 40 milhões de voos anuais apenas na Europa.
Perante o cenário de aumento do número de voos atrasados é fundamental que os passageiros conheçam os seus direitos.
A Skycop, empresa que defende os direitos dos passageiros, sugere uma leitura atenta do diploma da União Europeia que regulamenta as questões originadas por atrasos de voos e outros problemas.
Detalhes a destacar:
. Se o voo que sofreu um atraso superior a duas horas for operado dentro da União Europeia, isto é, um voo que parte da UE para outro destino, ou de outro destino para a UE (operado sempre por uma companhia registada na UE) - as companhias aéreas têm o dever de prestar assistência aos passageiros afetados pelo atraso do voo.
. De acordo com o tempo de espera, os passageiros prejudicados pelos atrasos têm direito a assistência por parte da companhia aérea operadora.
. Devem, assim, ser oferecidas refeições e bebidas em proporção razoável com o tempo de espera; alojamento em hotel (no caso de vir a tornar-se necessária a estadia por uma ou mais noites ou no caso de o passageiro ser obrigado a estender a estadia prevista inicialmente); transporte entre o aeroporto e o local de alojamento.
. As companhias devem ainda disponibilizar aos passageiros duas chamadas telefónicas gratuitas ou outras formas de comunicação.

Facto:
Apenas um em cada dez viajantes que envia as suas reclamações pessoalmente para uma companhia aérea consegue receber uma compensação.

Mito:
Os passageiros só têm direito a refeições em caso de voos cancelados.
Errado. A lei prevê que as companhias apliquem compensações em voos com atrasos superiores a duas horas.

Número:
Um em cada dez passageiros tem problemas com voos pelo menos uma vez na vida.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.