Em quantos distritos é que o Chega ultrapassou o PCP desde as últimas legislativas?

Comparando os resultados dos dois partidos nas eleições legislativas de 2019 e 2022, o Chega ultrapassou o PCP em 17 dos 20 círculos eleitorais em território nacional. Os comunistas apenas conseguiram assegurar uma percentagem de votos superior à do Chega em três círculos: Beja, Setúbal e Évora.

Uma das maiores subidas registadas pelo partido liderado por André Ventura verificou-se em Faro, onde conseguiu eleger um deputado, com 12,3% dos votos, mais 10% do que em 2019 (2%). A queda do PCP no círculo algarvio foi de 7,05% em 2019 para 4,81% em 2022.

Em Santarém, o Chega, que em 2019 conseguiu apenas 2,03% dos votos, agora, com 10,91%, conseguiu eleger um deputado. Em sentido inverso, o PCP que elegera um deputado por este círculo nas últimas eleições, com 7,57% da votação, fica agora sem representação parlamentar.

A evolução nos resultados dos dois partidos é também de destacar no círculo eleitoral de Lisboa. Em 2019, o Chega, elegeu apenas um deputado (2%), o próprio Ventura. Agora elege quatro, com 7,77% da votação. A queda do PCP reflete-se na perda de um deputado em Lisboa, com 5,08% dos votos. Há dois anos tinha conseguido obter 7,79% dos votos.

_________________________

Rui Rio ganhou na sua própria freguesia?

Sim. Na União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, concelho do Porto, o PS de António Costa ficou a cerca de 1.000 votos de distância do PSD de Rui Rio. Já em 2019 o PSD tinha alcançado, na mesma freguesia, 5.847 votos, mais quase 1.400 do que o PS.

Ainda assim, Rio perdeu no concelho do Porto, um de uma série que os sociais-democratas tinham conquistado nas últimas eleições. O PSD também perdeu nos distritos de Bragança, onde o resultado se alterou por apenas 15 votos, e de Viseu, bastiões históricos do partido. O que é certo é que do total de 20 círculos eleitorais apurados (estão ainda a faltar os da Europa e Fora da Europa), o PSD apenas conseguiu vencer na Madeira.

_________________________

O PS venceu na freguesia mais pequena do país por apenas um voto?

Sim. Foi na União das Freguesias de Paradela e Granjinha, do município de Tabuaço, onde obteve 20 votos contra 19 do PSD.

_________________________

Representação feminina é mais expressiva nos partidos de esquerda?

De 33% para 40%, a Lei da Paridade continua a conquistar a presença feminina na Assembleia da República. Ainda assim, e apesar de conhecidos apenas 226 dos 230 deputados à Assembleia da República, tudo indica que o número de mulheres com assento parlamentar vai diminuir. Quais são os partidos com maior representação feminina?

À esquerda, a única maioria feminina é conseguida pelo Bloco de Esquerda, onde três dos cinco deputados eleitos são mulheres, entre elas Catarina Martins, Joana Mortágua e Mariana Mortágua. O PAN, por sua vez, elegeu apenas Inês Sousa Real e o Livre, para igualar as contas, elegeu Rui Tavares por Lisboa.

Na CDU, que se despede agora do PEV no Parlamento, foram eleitos três homens e três mulheres: Alma Rivera, Paula Alexandra Barbosa e Diana Ferreira.

Deixando de lado os 50/50, o PS elegeu, por enquanto, 72 homens e 45 mulheres, ou seja, conseguiu 38,4% de representação feminina. A seguir aos socialistas estão os liberais que, dos oito eleitos conseguiram sentar três mulheres no Parlamento (37,5%).

Dos restantes partidos à direita, o PSD elegeu apenas, até ao momento, 26 mulheres de um total de 76 deputados. E o partido com menor representatividade é mesmo o Chega, que dos 12 deputados eleitos conseguiu sentar apenas uma mulher, Rita Cid Matias.

_________________________

É a primeira vez que um partido ganha as eleições legislativas em todos os distritos de Portugal continental?

Verdadeiro. O PS venceu as eleições de Bragança a Faro. Foi a primeira vez que um partido o conseguiu. Fora de Portugal continental, até ao momento, só não foi o mais votado na Região Autónoma da Madeira, quando ainda falta apurar os resultados nos dois círculos eleitorais do estrangeiro.

_________________________

Em Celorico de Basto, terra de Marcelo Rebelo de Sousa, que partido é que venceu?

Se em 2019 o PSD tinha conseguido afirmar-se em Celorico de Basto, distrito de Braga, de onde é oriundo o atual Presidente da República (e ex-líder do PSD), em 2022 o resultado inverteu-se e os socialistas garantiram mais um dos concelhos que em eleições anteriores os tinham deixado em segundo lugar, desta feita com 43,16% dos votos.

Chega e Iniciativa Liberal garantiram o terceiro e quarto lugares, respetivamente, com 4,86% e 2,25% dos votos. O CDS-PP ficou atrás do Bloco de Esquerda e à frente da CDU, num concelho onde os comunistas tiveram apenas mais cerca de 20 votos do que o PAN.

_________________________

André Ventura ultrapassou o PCP em Pirescoxe, terra natal de Jerónimo de Sousa?

Não. A aldeia de Pirescoxe, de onde Jerónimo de Sousa é originário, que pertence à União das Freguesias de Santa Iria da Azóia, São João da Talha e Bobadela, em Loures, manteve o PCP como o terceiro partido mais votado, mas por pouco.

O PCP conseguiu 2.261 votos, ou seja, 9,09%, e o Chega, com uma diferença de apenas 189 votos, obteve 8,33% da votação na freguesia do líder comunista. O partido mais votado nesta freguesia situada em Loures foi o PS, com 47,99% dos votos, seguido do PSD, com 17,37%.

_________________________

Bloco de Esquerda perdeu mais votos em relação a 2019 do que o total que conseguiu nestas legislativas?

Foi uma hecatombe eleitoral para o partido de Catarina Martins, que em 2015 conseguiu ser a terceira força política e agora não foi além da quinta posição. A eleger apenas em Lisboa, Porto e Setúbal, os bloquistas registaram uma queda de quase 260 mil votos (em 2019 tinham conseguido 500.017 votos no total).

Nestas eleições, o Bloco de Esquerda reuniu 240.257 votos, o que significa que foram mais os votos que ficaram pel0 caminho relativamente a 2019 do que aqueles que o partido conseguir garantir em 2022.

Se recuarmos até 2015, a queda é ainda maior, já que nessas eleições, marcadas pelo nascimento da geringonça, os bloquistas tinham alcançado os 550.892 votos. Parece que os acordos com o PS foram cruciais para o enfraquecimento das duas bancadas parlamentares mais à esquerda.

_________________________

André Ventura (Chega) perdeu mais de 100 mil votos desde as presidenciais?

Nas eleições presidenciais de 2021, o líder do Chega foi candidato e obteve um total de 496.773 votos. André Ventura ficou então em terceiro lugar, com 11,9% da votação, logo a seguir a Ana Gomes, que conseguiu 12,9% e assegurou o segundo lugar.

Agora, nas eleições legislativas de 2022, o Chega arrecadou 385.543 votos, o equivalente a 7,15% do total. Perdeu, portanto, entre as duas eleições, 111.230 votos. Ressalve-se porém que as candidaturas às eleições presidenciais são unipessoais, ao nível formal, independentemente das ligações ou apoios de partidos.

_________________________

Quais foram os resultados dos 12 cabeças-de-lista que Rui Rio trocou no PSD?

Após vencer Paulo Rangel nas eleições diretas para a liderança do PSD, Rui Rio trocou 12 dos 22 cabeças-de-lista face às eleições legislativas de 2019. As mudanças ocorreram em Aveiro, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Madeira, Portalegre, Porto, Vila Real, Viseu, Europa e Fora da Europa. Mas como é que correu a noite eleitoral para estes candidatos?

Em Lisboa, onde Ricardo Baptista Leite substituiu a liderança de Filipa Roseta nas últimas legislativas, o PSD conseguiu arrecadar 13 deputados, mais um do que em 2019. No círculo eleitoral de Aveiro, em que António Topa Gomes passou a ser o número um do PSD, registou-se também a eleição de mais um mandato do que em 2019, de seis deputados para sete.

No Porto, onde em 2019 Hugo Carvalho tinha encabeçado a lista do PSD, Rui Rio cedeu o lugar à antiga secretária-geral da JSD, Sofia Matos. No entanto, neste círculo eleitoral, a troca de liderança não foi favorável ao partido, com os sociais-democratas a perderem um deputado, dos 15 que tinham conseguido eleger em 2019.

Em Portalegre, em Viseu, na Guarda, em Faro, em Leiria, em Vila Real e na Madeira, a troca de cabeças-de-lista não transpareceu nos resultados obtidos. Isto é, não se registaram alterações no número de mandatos alcançados pelo PSD, em comparação com 2019.

_________________________

Esta é a segunda vez que o Bloco de Esquerda sofre um tombo eleitoral depois de chumbar um documento importante dos socialistas?

É inegável que os acordos à esquerda têm favorecido os socialistas ao nível eleitoral, mas será que há penalizações recorrentes para os grupos parlamentares que chumbam documentos importantes do PS?

Se agora falamos do Orçamento do Estado para 2022, devemos recuar a 2011 quando o chumbo da quarta versão do Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), que esteve na origem da queda do então Governo do PS. À esquerda e à direita, os partidos uniram-se para chumbar o documento que José Sócrates tinha apresentado e que acabou por levar à chegada da troika a Portugal.

Enquanto coordenador do partido, Francisco Louçã viu o Bloco de Esquerda cair a pique nas eleições legislativas antecipadas de 2011 e perder metade dos deputados da sua bancada parlamentar, ficando com apenas oito. Na altura, os bloquistas conseguiram apenas 288.973 votos, 5,17% do total, um valor ainda assim superior ao registado nestas eleições.

_________________________

Esta é a primeira vez que o PEV não consegue eleger desde que foi fundado?

Nunca concorreu sozinho a eleições, mas Heloísa Apolónia chegou a afirmar que não é por medo. Fundado em 1982, o Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV) teve representação parlamentar em todas as legislaturas desde 1983, sem qualquer interrupção. Com um máximo de três deputados entre 2002 e 2005, o PEV manteve quase sempre uma média de dois deputados na Assembleia da República.

Ainda assim, e a par com a queda substancial dos comunistas, estas eleições legislativas foram desastrosas para "Os Verdes", que não conseguiram eleger nenhum deputado em qualquer círculo eleitoral, deixando pela primeira vez a Assembleia da República desde 1983.

_________________________

O PAN perdeu votos em todos os círculos eleitorais?

Embora ainda tenha conseguido eleger uma deputada, não ficando de fora da Assembleia da República como os mais velhos CDS-PP e PEV, o PAN perdeu quase metade dos votos em todos os círculos eleitorais.

No total obteve 82.250 votos (1,53%), uma queda de 84.608 face aos 166.858 votos (3,28%) que conseguira acumular em 2019. Perdeu assim três dos quatro mandatos de deputados.

_________________________

Houve mais votos brancos e nulos do que votos no CDS-PP?

No global, o partido liderado por Francisco Rodrigues dos Santos, que replicou a demissão de Assunção Cristas em noite eleitoral, obteve 

Aliás, os votos em branco (61.762) somados aos votos nulos (49.537), num total de cerca de 111 mil, representam mais do que aqueles conseguidos pelo CDS-PP nestas eleições legislativas.

_________________________

Ventura foi o único líder dos principais partidos que obteve um resultado mais baixo na sua freguesia do que ao nível nacional?

Sim. No Parque das Nações, Ventura ficou 2,25 pontos percentuais abaixo do resultado do Chega ao nível nacional. Em sentido inverso, destaque para João Cotrim de Figueiredo, líder do Iniciativa Liberal, que na sua freguesia (Avenidas Novas, Lisboa) mais do que triplicou os votos do seu partido ao nível nacional.

_________________________

Costa ganhou na Ericeira e em Vilar de Maçada, onde reside e nasceu Sócrates?

De facto, o PS venceu na Ericeira, onde reside atualmente José Sócrates, com 2.172 votos, o equivalente a 36,35% do total dessa freguesia do concelho de Mafra.

Por sua vez, na freguesia de Vilar de Maçada, em Alijó, onde Sócrates nasceu e foi registado, em 1957, o PSD levou a melhor, com 201 votos, o equivalente a 42,77% do total da votação.

_________________________

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network