Fernando Ruas, eurodeputado do PSD, acusa os responsáveis do polémico MEP ranking, que mede o trabalho dos eurodeputados no Parlamento Europeu (PE), de lhe ter sugerido que se contribuísse para financiar o projeto, poderia obter tratamento especial.

O Polígrafo teve acesso a um e-mail trocado entre Ana Morais Ferreira, assessora de Fernando Ruas no PE, e os responsáveis do MEP ranking, em que estes afirmam claramente que privilegiam os eurodeputados que “suportam” o projeto.

O e-mail, enviado às 12h38 do dia 6 de junho de 2018, surge na sequência de uma inquietação de Fernando Ruas. “Nos primeiros tempos do meu mandato estava bem classificado, mas a dada altura tudo mudou sem razão aparente. Pedi à minha assistente para verificar o que se passara e ela recebeu um e-mail que é revelador sobre a credibilidade deste ranking”, afirma Ruas ao Polígrafo.

A passagem do texto que provocou a indignação de Ruas é a seguinte:

“Olá Ana, perdão pela resposta atrasada. Damos prioridade aos eurodeputados que apoiam o nosso projeto."

“Se quisesse urgência na resposta teria de pagar. Já não dava muita credibilidade ao ranking, a partir de então aquilo deixou de contar para mim”, reforça Ruas.

Contactado pelo Polígrafo, o MEP ranking afirmou que não recebe contribuições de eurodeputados. Mas recusa-se a divulgar a lista de doadores, alegando motivos de confidencialidade.

O ex-presidente da Câmara Municipal de Viseu não está sozinho nas críticas ao MEP ranking. Recentemente, durante o debate eleitoral realizado na SIC Notícias entre os cinco candidatos ao Parlamento Europeu que têm neste momento assento parlamentar, o centrista Nuno Melo foi muito azedo relativamente a um ranking que o dá como o 15º eurodeputado português (em 21) em termos de desempenho.

Nuno melo
Nuno Melo e Fernando Ruas: juntos na mesma luta contra o polémico MEP Ranking

A mesma tabela coloca o eurodeputado social-democrata José Manuel Fernandes no topo da lista e Manuel dos Santos, do PS, em último lugar. Fernando Ruas, que não é candidato nas atuais listas, surge em penúltimo.

Na edição da passada segunda-feira, o Polígrafo SIC - programa de televisão feito em parceria entre o Polígrafo e a SIC -  revelou um fragmento de um e-mail que indiciava favorecimento de um eurodeputado que contribuísse para o MEP ranking. No programa não foi revelado quem foi o seu receptor. Sabe-se agora que foi Fernando Ruas.

O argumentário de Ruas e Nuno Melo para colocar em causa a credibilidade do MEP Ranking é o que se segue:

- Não é um site oficial do Parlamento Europeu;

- Não se sabe quem está por detrás do site nem quem são os seus financiadores;

- Os eurodeputados pagam para serem favorecidos na classificação.

O MEP Ranking é um site independente que avalia a atividade dos eurodeputados em função de 14 critérios. Entre eles encontram-se a assiduidade, o número de relatórios produzidos, o número de discursos realizados, de moções escritas ou perguntas redigidas. Com esses dados na mão, o algoritmo criado pelo MEP Ranking faz o resto. Ora, é justamente esse algoritmo – juntamente com a transparência do site - que é colocado em causa por Ruas e por Melo.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.