Primeiro foi o ator Carlos Areia. Depois foi o ex-presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho. Agora é o ator Pedro Lima. O Polígrafo tem denunciado o esquema fraudulento, sucessivamente, mas a plataforma “Bitcoin Future” continua a tentar enganar os utilizadores mais incautos das redes sociais, através de conteúdos patrocinados.

No que respeita a Pedro Lima, a suposta “notícia” é praticamente igual à que foi criada para Areia e Carvalho. Desde logo o título: “Pedro Lima revela como ganhou 2,3 milhões após a falência - Ele diz que qualquer um pode fazê-lo e mostra como no ‘Jornal 2’!” Aparentemente trata-se do “Jornal 2” da RTP, com o artigo - da página “Notícias Maior“ - a fazer referência e a mostrar imagens do jornalista João Fernando Ramos no cenário desse espaço noticioso da televisão pública portuguesa.

“Pedro Lima está no programa de TV ‘Jornal 2’, um homem que recuperou da falência graças a uma plataforma de negociação de Bitcoin automática, chamada Bitcoin Future. A ideia era simples: permitir à pessoa comum a oportunidade de encaixar dinheiro com o boom da Bitcoin. Mesmo sem ter absolutamente nenhuma experiência em investimento ou tecnologia. Um utilizador teria simplesmente de fazer um depósito inicial na plataforma, normalmente de 250 euros ou mais, e o algoritmo de negociação automático iria funcionar. Usando uma combinação de dados e aprendizagem da máquina, o algoritmo saberia o momento perfeito para comprar a Bitcoin em baixa e vender em alta, maximizando o lucro do utilizador”, descreve o artigo.

“Para demonstrar o poder da plataforma, o Pedro convenceu o João Fernando a depositar 250 euros em direto no programa de TV. Após fazer o seu depósito inicial de 250 euros, a plataforma de negociação começou a funcionar comprando em baixa e vendendo em alta. Em três minutos, conseguira aumentar os seus fundos iniciais para 483,18 euros. Trata-se de um lucro de 233,18 euros”, prossegue. E cita diretamente o jornalista da RTP: “Já ouvi falar da Bitcoin e da quantia massiva que pode ganhar a partir dela, mas nunca comprei nenhuma. Não tinha noção de por onde começar. Isto foi de facto fácil, posso simplesmente usar o meu cartão de crédito para depositar dinheiro e ele compra-as para mim”.

“Todas as pessoas no programa, incluindo o pessoal da produção, ficaram de imediato impressionadas com a facilidade de fazer dinheiro. A plataforma trata automaticamente de todo o trabalho de negociação e, devido ao preço da Bitcoin ser bastante volátil, há muitas oportunidades de lucrar. Antes do Pedro ter tido sequer uma hipótese de responder às questões de todos, o João interrompeu e disse com um sorriso no rosto: ‘Eu subi até aos 398,42 euros depois de oito minutos apenas’”, salienta a publicação.

No final do artigo surge uma série de comentários de supostos investidores de sucesso na plataforma “Bitcoin Future”. Aparentemente são perfis da rede social Facebook, mas na verdade não existem. Tanto as imagens como os nomes são falsos. O objetivo será convencer os leitores a seguirem esses exemplos de sucesso e investirem também na plataforma. Se pessoas comuns fizeram e tiveram lucro fácil e rápido, porque não tentar?

Há várias ligações a partir de palavras-chave que vão dar todas à mesma página da “Bitcoin Future”. Os leitores são desafiados a fornecerem os seus dados e, posteriormente, a transferirem uma quantia inicial de dinheiro, convencidos de que estarão a investir numa plataforma inovadora de negociação em Bitcoin. Contudo, trata-se de uma comprovada fraude. Pedro Lima (tal como Areia e Carvalho) nunca esteve no “Jornal 2” da RTP para falar sobre plataformas de Bitcoin, nem João Fernando Ramos o entrevistou sobre esses investimentos fictícios. É, por isso, um esquema fraudulento.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.