O primeiro jornal português
de Fact-Checking

O debate entre Donald Trump e Joe Biden em nove mentiras

O primeiro debate das eleições presidenciais dos Estados Unidos, transmitido esta madrugada na CNN, ficou marcado pelas muitas mentiras de Donald Trump e pela visível fragilidade de Joe Biden. Os jornais norte-americanos escrutinaram detalhadamente o confronto, tendo identificado várias falsidades. Fique com algumas das mais relevantes.
© EPA / Cristobal Herrera-Ulashkevich

Foram os 90 minutos mais longos da vida recente do Partido Democrata. Joe Biden enfrentava o primeiro grande teste à sua capacidade para liderar os Estados Unidos durante mais um mandato e, a avaliar pela reação da maioria dos analistas – mesmo os que estão mais próximos do Partido Democrata, como David Axelrod, o estratega de Barack Obama – chumbou amargamente, ao evidenciar numerosas hesitações e dificuldades de raciocínio, que foram imediatamente aproveitadas por Trump. Ambos mentiram, mas um mentiu mais do que outro, como habitualmente. O Polígrafo cruzou as análises ao debate de dois jornais americanos – o PolitiFact e o Washington Post – e o resultado é o que segue.

As mentiras de Donald Trump

Os democratas querem permitir o aborto “aos nove meses e até depois do nascimento”

Não há qualquer registo público de que o Partido Democrata, ou Joe Biden, defendam a legalização do aborto (ou interrupção voluntária da gravidez) aos oito, nove meses ou “até depois do nascimento”, como indicou o ex-Presidente dos EUA. Aliás, nesses casos não seria propriamente um aborto, mas um infanticídio, que é considerado crime em todos os Estados que compõem os EUA.

Biden “permitiu que milhões de pessoas viessem para cá [EUA] de prisões, cadeias e instituições psiquiátricas”

A alegação proferida por Donald Trump totalmente falsa. Isto porque as autoridades de imigração detiveram cerca de 103.700 não-cidadãos (onde se incluem imigrantes legais, mas que não são cidadãos dos EUA) com condenações criminais entre 2021 a 2024, segundo dados federais. Ou seja, ficaram impedidos de entrar. Apesar de os dados darem conta apenas das pessoas de que há registo, os especialistas em imigração consideram que, apesar das limitações, não há provas que sustentem a declaração de Trump.

Biden permitiu a entrada de “18 milhões de pessoas”

As autoridades de imigração não validam esta alegação. Há registo de 9.7 milhões de vezes que os migrantes tentaram cruzar ilegalmente a fronteira dos EUA durante a presidência de Biden. Contando com as pessoas que conseguiram escapar às autoridades na fronteira, o número sobe para 11.4 milhões, um número elevado, mas muito distante dos 18 milhões apontados por Trump.

No entanto, é preciso ter em conta que este valor não diz respeito a pessoas admitidas, mas sim a eventos em que houve a tentativa de cruzamento. Ou seja, uma única pessoa pode tentar cruzar a fronteira mais do que uma vez e é esse o número de vezes que é contabilizado, sendo que muitas destas tentativas resultam posteriormente em deportações.

“Os únicos empregos que Biden criou foram para imigrantes ilegais ou empregos de recuperação da Covid-19”

Desde que o atual Presidente dos EUA tomou posse, no início de 2021, o número de empregos para americanos nascidos no estrangeiro subiu para 5.6 milhões, mas, ao mesmo tempo, o número de empregos para nativos também aumentou para perto de 7.4 milhões. Sendo que existem mais americanos nativos do que nascidos no estrangeiro, em termos percentuais está em causa um aumento de cerca de 22% para os estrangeiros e 6% para os americanos nascidos nos EUA.

Também é errado afirmar-se que os empregos para “nascidos no estrangeiro” foram atribuídos a imigrantes ilegais. Os dados mostram que esta fatia da população inclui qualquer cidadão nascido no exterior, incluindo os que estão nos EUA legalmente há décadas.

Segurança Social está a ser destruída pela imigração

O candidato republicano acusou Biden de estar a destruir “o Medicare porque todas as pessoas estão a entrar”, assim como a Segurança Social. Trump assegura que os imigrantes e o seu oponente “vão destruir a Segurança Social” pela entrada massiva. Porém, quer o “Politifact“, quer o “Washington Post” dão conta de que os imigrantes estão a fazer precisamente o contrário. Segundo os dados disponíveis, os imigrantes indocumentados melhoram a saúde da Segurança Social e do Medicare ao pagarem impostos sobre os salários sem receberem benefícios.

O valor dos pagamentos à Segurança Social feitos por imigrantes indocumentados está agora em cerca de 27 mil milhões de dólares. Para o Medicare, será de pelo menos 6 mil milhões de dólares.

Biden quer “aumentar os impostos de todos em quatro vezes”

Ao longo do seu mandato de cinco anos, Biden nunca disse querer aumentar os impostos a todos. Aliás, tem sido consistente em afirmar que não os irá aumentar a pessoas que aufiram menos de 400 mil dólares por ano, o que deixa cerca de 2% dos contribuintes mais ricos de fora. Em contraponto, os impostos de contribuintes que ganham até 60.400 dólares terão uma descida anual e quem ganhe entre 60.400 dólares e 107.300 dólares verá um aumento anual médio de 20 dólares.

As mentiras de Joe Biden

Trump quer “livrar-se da Segurança Social, acha que há muito em que cortar”

O democrata quis sublinhar que o adversário tinha a intenção de eliminar a Segurança Social, mas esta alegação é falsa. É certo que, numa entrevista à CNBC em março, Trump disse que havia “muito a fazer em termos de direitos, em termos de cortes” nos benefícios da Segurança Social.

Mas da mesma forma que disse que havia muito a fazer, nomeadamente cortes, também afirmou que “nem um único centavo” deveria ser cortado, uma declaração repetida diversas vezes em comícios de campanha.

Antes da campanha presidencial, Trump disse que estava aberto a grandes reformas na Segurança Social, incluindo cortes e privatizações, mas nunca referiu ter o objetivo de “livrar-se da Segurança Social”.

Trump disse que “não era assim tão grave injetar lixívia no braço”

O adversário de Joe Biden não disse que as pessoas deveriam injetar lixívia no braço para eliminar o vírus causador da Covid-19. Em 2020, Trump mencionou uma “injeção dentro” dos pulmões com um desinfetante, tendo um seu assessor apresentado até um estudo que mostrava como o desinfetante poderia matar o vírus quando este estivesse sobre superfícies. No entanto, mais tarde, o candidato às presenciais de 2024 disse que estava a ser “sarcástico”.

“Vejo o desinfetante, que o elimina em um minuto. E existe uma maneira de fazermos algo assim, por injeção interna ou quase uma limpeza, porque o vírus entra nos pulmões e faz um tremendo número [de danos] nos pulmões, então seria interessante verificar isso, teremos que recorrer a médicos, mas parece-me interessante”, disse.

“Temos milhares de milionários na América, quer dizer bilionários. E eles estão numa situação em que pagam 8,2% em impostos”

Esta não é a primeira vez que Joe Biden apresenta esta alegação falsa. Joe Biden refere-se a um estudo de 2021 da Casa Branca que conclui que 400 dos contribuintes mais ricos pagaram uma taxa efetiva de imposto de 8%. Mas essa estimativa incluía ganhos não realizados no cálculo do rendimento e não é assim que as leis fiscais funcionam.

As pessoas são tributadas sobre ganhos de capital quando vendem ações ou outros ativos, logo, este é apenas um número para um sistema tributário hipotético. Segundo os dados  do IRS, os contribuintes com pelo menos 77 milhões de dólares em rendimento bruto em 2020 pagaram uma taxa de 23,7%, enquanto que a fatia (1%) de contribuintes que ganham pelo menos 548 milhões de dólares pagou perto de 26% em impostos.

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque