1. Não, a Rainha Isabel II não pediu a Cristiano Ronaldo para autografar 80 camisolas do Manchester United

A insólita informação correu as redes sociais em setembro do ano passado. De acordo com internautas, a monarca inglesa tinha encomendado 80 camisolas do Manchester United com o nome de Cristiano Ronaldo para oferecer ao seu staff. Ainda mais inusitado terá sido o pedido de uma camisola exclusiva autografada pelo jogador português e com uma dedicatória especial.

Apesar de não parecer totalmente descabido, é falso que a rainha de Inglaterra tenha pedido camisolas autografadas ao futebolista português. O boato surgiu a 1 de setembro, um dia depois de terem sido publicadas as primeiras fotografias de Cristiano Ronaldo com a camisola do Manchester United, a partir de um tweet que dava conta dessa informação.

Contudo, apesar dos 10.000 likes em poucas horas, a publicação foi apagada e substituída por uma mensagem que dizia: "Não pudemos confirmar a veracidade da nota sobre a Rainha e Cristiano Ronaldo, por isso decidimos apagar o tweet. Pedimos desculpa." Apesar de os autores da publicação original terem apagado o tweet, tal não impediu que a informação se disseminasse rapidamente pelas redes sociais.

De acordo com o Goal.coma Rainha mantém o segredo quanto à equipa preferida, para manter a neutralidade, mas ao longo dos anos tem-se especulado sobre vários clubes que alegadamente a soberana apoiaria.

2. Isabel II de Inglaterra tomou Ivermectina para tratar infeção por Covid-19? É falso

Na origem deste rumor esteve uma reportagem emitida no programa "A Current Affair", da estação de televisão australiana Channel 9. Após ter sido noticiado, a 20 de fevereiro, que a rainha de Inglaterra testou positivo à Covid-19, a reportagem do Channel 9 (na noite de 21 de fevereiro) incidia sobre possíveis formas de tratamento adequadas ao perfil de risco (devido à idade) de Isabel II.

Na reportagem, o jornalista entrevista um médico que diz que pacientes com a idade da rainha podem beneficiar de novos medicamentos aprovados para pacientes de alto risco. Nesse trecho, imagens de dois medicamentos, entre eles o Stromectol - cujo princípio ativo é a Ivermectina -, são mostradas para ilustrar a narração. No entanto, nem o repórter, nem o médico afirmam que aqueles são os medicamentos que estão a ser utilizados no tratamento de Isabel II", segundo apurou a Agência Lupa, plataforma brasileira de fact-checking, que teve acesso ao vídeo da reportagem (entretanto apagado do site do Channel 9).

No dia 22 de fevereiro, o Channel 9 emitiu um comunicado: "A nossa reportagem de ontem à noite sobre a rainha continha um plano que não deveria ter sido incluído. O plano foi incluído como resultado de um erro humano."

3. Rainha Isabel II morreu em fevereiro deste ano? Claro que não

Ainda depois de ter testado positivo à Covid-19, a rainha Isabel II foi alvo de mais um boato criado nas redes sociais. Desta feita, os internautas davam-na como morta, depois de a monarca ter cancelado os seus compromissos agendados (mesmo os que decorressem online).

Depois disso, "Hollywood Unlocked", um site de gossip de celebridades, difundiu um relatório sem fundamento, a 22 de fevereiro, quer no portal quer no Facebook, onde se lia que a rainha tinha morrido. A fonte para a alegação seria alguém "próximo à família real". O artigo em causa já foi eliminado do portal online, já que não houve evidências suficientes à data para se confirmar que a monarca estava realmente morta.

Aliás, fonte oficial do Palácio de Buckingham disse à "Newsweek" que nunca responde a rumores deste tipo.

4. A Rainha deu o título de cavaleiro a um gato? Era uma brincadeira do Dia das Mentiras

Em abril deste ano, milhares de internautas partilharam o que parecia ser uma fotografia da Rainha de Inglaterra a tornar cavaleiro um gato chamado Ruben. Na verdade, tudo não passou de uma brincadeira do Dia das Mentiras e uma montagem publicada na página de Facebook “Ruben the Cat”.

Na legenda da fotografia lia-se: "Estou muito orgulhoso por finalmente anunciar que me tornei o primeiro gato a receber honras de Sua Majestade Rainha Isabel II." Apesar de ser claramente uma brincadeira, a fotografia correu as redes sociais e levou mesmo vários fact checkers, como o Politifact, Snopes, Check Your Fact, Lead Stories, Fato ou Fake, entre outros, a ter de desmentir a informação que muitos acreditaram ser real.

Na verdade, a imagem era uma montagem a partir de uma fotografia captada a 10 de outubro de 2019, quando o ator britânico Simon Russell Beale recebeu o título de cavaleiro.

5. A Rainha Isabel II disse que Trump era uma “pessoa extraordinária” e que tinha “bom coração”? Pimenta na Língua

Em 2019, uma publicação mostrava uma fotografia de Donald Trump com a Rainha Isabel II e revelava que a monarca tinha descrito, numa entrevista, Trump como sendo uma “pessoa extraordinária” e com “bom coração”. “Ele é realmente uma pessoa extraordinária (…). Nós tivemos algumas conversas privadas e ele é muito genuíno. Eu tenho um pressentimento sobre as pessoas e o presidente tem um bom coração. Noutra vida, ele poderia ser meu filho”, podia ler-se.

Segundo a plataforma de fact-checking Politifact, a declaração surgiu no site conservador "Clover Chronicle" e,  de acordo com o artigo, as declarações da Rainha surgiram através de uma “rede de notícias” que terá alegado que “esteve recentemente envolvida numa entrevista com a Rainha Isabel II, onde ela inesperadamente elogiou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump”.

No entanto, não existem provas de que a Rainha tenha realmente dito aquela frase. O Politifact revela ainda que a declaração parece ter tido origem numa publicação anónima num fórum online, uma vez que, de acordo com o Palácio de Buckingham, a Rainha não dá entrevistas ou faz comentários públicos sobre política.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network