Quem pesquisar pelas palavras “a NASA mente” nas redes sociais encontra inúmeras publicações em que a agência espacial norte-americana é apresentada como a principal responsável pelo fabrico de mentiras com o objetivo de “enganar” a população. No dia em que a instituição celebra 64 anos, o Polígrafo reuniu três falsidades e teorias da conspiração sobre a NASA.

A humanidade nunca foi à Lua?

O ano de 1969 ficou gravado na História pela chegada do homem à Lua. No entanto, há quem negue o sucesso desta missão da NASA, sustentando que a agência espacial norte-americana é um órgão “focado em falsificar imagens e manipular as massas” e que a ida à Lua é uma mentira.

Um dos vários argumentos utilizados para sustentar esta teoria serve-se do facto de o formato da sola das botas utilizadas por Neil Armstrong na missão Apollo 11 não corresponder a uma fotografia da pegada amplamente divulgada. No entanto, tal como o Polígrafo verificou anteriormente, isso deve-se ao facto de a fotografia em causa não mostrar uma pegada de Neil Armstrong, mas sim do seu companheiro de missão e segundo homem a pisar a Lua, Edwin “Buzz” Aldrin.

O caráter viral destas teorias levou o Instituto de Física, a associação dos profissionais de Física do Reino Unido e da Irlanda, a publicar um artigo no seu site com uma exposição dos factos que provam as várias idas à Lua.

A título de exemplo, a instituição centenária lembra que, no caso das missões Apollo, “há 8.400 fotos disponíveis para o público, milhares de horas de filmagens, uma montanha de dados científicos e transcrições completas e gravações de áudio de todas as conversas ar-terra”.

Além disso, sublinha, “temos até 382 kg de rocha lunar que os astronautas da Apollo trouxeram para a Terra”, sendo que “essas rochas foram classificadas como lunares por laboratórios de todo o mundo de forma independente, descartando uma conspiração dos EUA”.

A Terra é plana?

Outra teoria disseminada nas redes sociais é a de que a Terra é, na verdade, plana. Os adeptos desta tese partilham representações gráficas da Terra que não correspondem à realidade e acreditam que os cientistas “mentem”, porque “querem esconder o Grande criador, Deus”.

No entanto, a forma arredondada da Terra não só já foi provada cientificamente como havia quem nela acreditasse há mais de dois mil anos. Segundo a Sociedade Americana de Física, “por volta de 500 antes de Cristo, a maioria dos gregos antigos acreditava que a Terra era redonda, e não plana”.

Atualmente, como explica a NASA, “com GPS e outros satélites, os cientistas conseguem medir o tamanho e a forma da Terra com precisão de um centímetro”. Além disso, é visível nas várias fotografias captadas no Espaço a forma arredondada tanto da Terra como do seu satélite natural, a Lua.

A NASA inventou o velcro?

Apesar do contributo da NASA para o desenvolvimento de produtos de utilidade diária, ao contrário do que muitos acreditam e partilham nas redes sociais, não foi a agência espacial norte-americana a inventar o velcro.

Num artigo publicado no seu site, a NASA esclarece que a invenção deste conjunto de dois tecidos cujas superfícies aderem não deriva do programa espacial.

A instituição lembra, contudo, que o velcro foi “utilizado durante as missões Apollo para segurar equipamentos para conveniência dos astronautas em situações de gravidade zero”. Por isso, “embora seja uma invenção suíça da década de 1940, desde então tem estado associada ao programa espacial”.

No mesmo artigo, desmente-se também a ideia de que foi a NASA a inventar o sumo em pó “Tang” e o revestimento antiaderente “Teflon”.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network