As energias renováveis constituem o conjunto de energias derivadas de fontes naturais, tais como a energia obtida através do sol, vento, água, e biomassa de plantas ou animais, caracterizadas pela capacidade de regeneração natural ao longo do tempo e por serem inesgotáveis. Designadas por energias limpas ou energias alternativas, estas fontes não só preservam a saúde humana e o meio ambiente, como também desempenham um papel fundamental na mitigação das alterações climáticas, sendo consideradas uma parte essencial da transição para um sistema energético que prescinde do uso de combustíveis fósseis.

E há vários tipos de energia renovável. Da solar à hidráulica, eólica ou marítima, o Polígrafo explica uma a uma:

Energia Solar

A energia solar é a fonte de energia renovável mais limpa e abundante disponível. Para gerar energia, esta usa a luz e o calor do sol. Através da luz do sol, adquirimos a energia fotovoltaica (mais comum) e a partir do calor, temos a energia térmica.

No primeiro caso, obtém-se a energia através de uma instalação capaz de gerar energia elétrica recorrendo à utilização de módulos fotovoltaicos. Estes têm a capacidade de transformar diretamente a radiação solar em energia elétrica. Os painéis solares contêm células fotovoltaicas que, ao receberem luz direta, ionizam-se e libertam eletrões que interagem entre si e geram uma corrente elétrica.

No segundo, os equipamentos de energia solar térmica usam coletores solares para transformar a radiação solar em calor. Esses têm a função de capturar e armazenar a energia solar para aquecer água que é posteriormente utilizada para vários fins. Existe outra opção, a chamada CSP (Energia solar concentrada), que consiste num sistema que utiliza uma série de lentes ou espelhos para concentrar a luz solar numa superfície específica, resultando em energia utilizada para gerar eletricidade.

Energia Hidráulica

A energia hidráulica, também conhecida por energia hidrelétrica ou hidroelétrica, é um tipo de energia que provém do aproveitamento da água dos rios. Esta é produzida ao converter a energia armazenada entre dois corpos de água situados a altitudes distintas em energia elétrica. De modo a beneficiar com a disparidade de alturas, são implementadas infraestruturas hidráulicas (centrais hidroelétricas) projetadas para otimizar o aproveitamento deste recurso natural. O resultado é a obtenção de uma forma de energia renovável e ambientalmente sustentável.

Contudo, não devemos confundir a energia hidráulica com a energia das marés, que é obtida a partir do movimento das águas do mar através das marés, nem com a energia das ondas, que utiliza o movimento das ondas do oceano para obter energia.

Energia Eólica

Os primeiros barcos à vela ou as hélices de um moinho de vento demonstram como a energia eólica, captada a partir do movimento do ar, é utilizada há milhares de anos. Trata-se da energia cinética gerada a partir de fluxos de ar, que pode ser transformada em eletricidade através de um gerador elétrico.

Há dois tipos de energia eólica, dependendo de onde é gerada: o modelo de produção de energia eólica "onshore" em que as turbinas eólicas estão localizadas em locais que geralmente possuem uma quantidade suficiente de vento, como grandes pradarias ou áreas costeiras. E o modelo de produção de energia eólica "offshore" que funciona de maneira semelhante ao "onshore", sendo que a única diferença assenta no facto de as turbinas eólicas estarem localizadas no meio do oceano, beneficiando dos fortes ventos oceânicos.

Energia Marítima

A energia marítima ou energia dos oceanos é a energia elétrica gerada através da força das águas marítimas. Esta é obtida através de dois tipos: A "Tidal energy" (Energia das marés), que consiste na energia potencial proveniente da diferença de alturas entre maré alta e maré baixa, bem como da energia cinética associada às correntes marítimas; e a "Wave energy" (Energia das ondas), que é a energia gerada pelas ondas do mar.

Energia de Biomassa

A energia de biomassa é considerada uma alternativa aos combustíveis fósseis e é obtida a partir da matéria orgânica de origem animal ou vegetal, como restos de alimentos, cascas de frutas, madeira, entre outros. A biomassa pode ser utilizada como combustível sendo queimada diretamente, como por exemplo a lenha na lareira, de modo a aproveitar o calor, ou convertida para a produção de energia elétrica.

Da biomassa podem também resultar substâncias como o álcool (etanol), óleos vegetais e gorduras, que são processadas e usadas como combustíveis, os chamados biocombustíveis.

Energia Geotérmica

A energia geotérmica é a energia obtida através do aproveitamento do calor do interior da Terra armazenado em rochas, solos e águas subterrâneas, podendo ser utilizada para fins térmicos ou para produzir eletricidade. Apesar da sua abundância a nível geográfico, esta só pode ser aproveitada em locais com condições físicas favoráveis, como o caso de geiseres (uma nascente termal que entra em erupção periodicamente), vulcões ou fontes termais, onde pode ser encontrada de forma natural.

Para produzir eletricidade, realiza-se uma perfuração do subsolo em regiões onde há presença de vapor e água quente. Estes elementos são então extraídos através de tubos e direcionados até um gerador à superfície da Terra, o que resulta na conversão da energia geotérmica em energia elétrica.

_______________________________

Geração V

Este artigo foi desenvolvido pelo Polígrafo no âmbito do projeto "Geração V - em nome da Verdade", uma rede nacional de jovens fact-checkers. O projeto foi concretizado em parceria com a Fundação Porticus, que o financia. Os dados, informações ou pontos de vista expressos neste âmbito, são da responsabilidade dos autores, pessoas entrevistadas, editores e do próprio Polígrafo enquanto coordenador do projeto.

*Texto editado por Marta Ferreira.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.