• Afinal, há outra imagem do primeiro buraco negro alguma vez fotografado?

    O mundo parou nos últimos dias para ver a primeira fotografia alguma vez tirada a um buraco negro. Fizeram-se paródias, piadas e até campanhas publicitárias, mas celebrou-se, sobretudo, um feito inédito para a astronomia. A verdade é que, agora, pode voltar a repetir-se tudo, pois circula nas redes sociais uma imagem que mostra muito mais do que a primeira. Apesar de o buraco negro estar mais distante, é possível ver o que o circunda, com mais definição.
  • Ter falta de memória significa que é extraordinariamente inteligente?

    São vários os artigos publicados que afirmam existir uma relação entre a falta de memória e a inteligência. Segundo esses artigos, se for uma pessoa que se esquece de “datas importantes” ou de “nomes de pessoas que conheceu”, isso significa que é “extraordinariamente inteligente”. Verdade ou falsidade?
  • Papa Francisco recusou que fiéis beijassem o anel papal?

    Um vídeo difundido nas redes sociais de todo o mundo mostra o Papa Francisco numa cerimónia em Itália a esconder a sua mão quando os fiéis tentam beijar o anel papal. O espanto agitou o universo católico, que se interrogou se o Papa foi vítima de um vídeo manipulado. Não seria a primeira vez.
  • Nova lei do aborto em Nova Iorque permite interrupções até ao fim da gravidez?

    Fetos com seis, sete, oito ou nove meses de gestação. De forma aleatória, indiscriminada, e sem qualquer tipo de controlo. São as alterações que a nova lei do aborto em Nova Iorque veio introduzir, no fundo, uma carta branca ao infanticídio. Esta é a ideia que corre na cabeça, e nas redes sociais, de muitas pessoas. Bem se sabe, o mundo nem sempre é um lugar justo, no entanto, será que um país hegemónico e desenvolvido como os Estados Unidos permite que se façam abortos sem qualquer condicionante, para além da vontade da progenitora?
  • Nova lei do aborto em Nova Iorque permite interrupções até ao fim da gravidez?

    Fetos com seis, sete, oito ou nove meses de gestação. De forma aleatória, indiscriminada, e sem qualquer tipo de controlo. São as alterações que a nova lei do aborto em Nova Iorque veio introduzir, no fundo, uma carta branca ao infanticídio. Esta é a ideia que corre na cabeça, e nas redes sociais, de muitas pessoas. Bem se sabe, o mundo nem sempre é um lugar justo, no entanto, será que um país hegemónico e desenvolvido como os Estados Unidos permite que se façam abortos sem qualquer condicionante, para além da vontade da progenitora?
  • Auriculares sem fio da Apple podem causar cancro. Verdadeiro ou falso?

    Um acessório da moda, que muitos desejam comprar ou receber como prenda. Porém, um presente envenenado, já que pode representar um risco acrescido de desenvolvimento de cancro no cérebro, devido à exposição prolongada a radiações que são utilizadas pelo dispositivo. A preocupação é tanta, que levou um grupo de 250 cientistas a alertar a Organização Mundial da Saúde e as Nações Unidas para que sejam revistos os padrões de segurança, não só dos AirPods, mas de todos os aparelhos que se servem de tecnologia wireless. É isto que avança uma notícia do “Daily Mail” que, em menos de 24 horas, se tornou viral. Mas será que é mesmo assim? É que há anos que a ciência está preocupada com as radiações emitidas por dispositivos móveis e, na verdade, a montanha tem sempre parido um rato.
  • Governo espanhol vai proibir os dias do pai e da mãe para não ofender comunidade LGBTI?

    O alerta é do Observatório Espanhol contra a fobia LGBT: celebrar os dias da mãe e do pai pode gerar auto-discriminação e danos psicológicos a crianças que não tenham um agregado familiar tradicional. Por isso, a solução é assinalar apenas o dia da família. A ideia, altamente inclusiva, vai ser posta em prática pelo governo da vizinha Espanha, pelo menos é o que garante uma notícia de um jornal espanhol, mas só até ao penúltimo parágrafo. Nas últimas linhas, o caso de muda de figura, e é bem provável que as ideias do leitor acabem num nó difícil de desatar.
  • Cerca de 75% dos donativos recolhidos pela Cruz Vermelha para ajudar Moçambique "serão usados para fretar um avião"?

    "Portugueses doaram 394 mil euros para Moçambique; 295 mil euros serão usados para fretar um avião", denuncia um "meme" criado pela página "Direita Política", expondo a imagem de Francisco George, atual presidente da Cruz Vermelha Portuguesa. Vários leitores do Polígrafo solicitaram uma verificação de factos relativamente a esta publicação. Verdade ou falsidade?
  • Boneca do “desafio Momo” está a aparecer em vídeos para crianças no YouTube?

    São piratas informáticos, entram em contas do YouTube com conteúdos para crianças e, nos vídeos, inserem trechos com a personagem “Momo”, que faz dos jovens autênticos reféns. O preço do resgate é matar pais, irmãos e pessoas próximas, e caso o pagamento não seja feito, são os miúdos que sofrem as consequências, pela mão da própria personagem Momo, enquanto estiverem a dormir. O alerta tem surgido em mensagens no WhatsApp e tem galopado a um ritmo alucinante, também, por outras redes sociais. Será o regresso do pesadelo Momo ou apenas uma desinformação alarmista para trazer de volta a histeria às cabeças de pais e crianças?
  • Valor do Rendimento Social de Inserção é quase oito vezes superior ao das pensões de invalidez?

    De um lado, uma família de etnia cigana com prestação de Rendimento Social de Inserção no valor de 1.200 euros. Do outro lado, uma criança em cadeira de rodas a ser alimentada pela mãe e com direito a pensão de invalidez no valor de 152 euros. "Esta é a nossa tal justiça social", denuncia o "meme", partilhado por centenas de pessoas e associado a propaganda racista de extrema-direita. Recorrendo a números verdadeiros ou falsos?
  • Autora dos livros de Harry Potter saiu da lista dos mais ricos do mundo da Forbes por fazer caridade?

    A revelação é inspiradora: J. K. Rowling saiu da lista dos mais ricos do mundo, da revista “Forbes”, depois de fazer gigantescas doações para a caridade. Segundo o meme que anda a correr o Facebook, a milionária terá sido a primeira a perder o estatuto por este motivo. Estará em causa uma prova de bondade quase inacreditável, ou, pelo facto de a realidade não ser tão romântica como a ficção, tratar-se-á de mais uma história inventada nas, e para, as redes sociais?
  • Registou-se um "aumento brutal" dos casos de violência doméstica por "responsabilidade deste Governo"?

    Publicação da página "Direita Política" acusa o atual Governo liderado por António Costa de nada fazer "para alterar, debelar, ou diminuir" os casos de violência doméstica em Portugal, a não ser um "minuto de silêncio" no Parlamento e a criação de um Dia de Luto Nacional. E sublinha: "O aumento brutal dos casos de violência doméstica é também responsabilidade deste Governo incompetente". Estas críticas baseiam-se em factos verdadeiros?
  • Neto de Moura diz que os casos de violência doméstica que tem julgado "não são particularmente graves". Verdade ou mentira?

    Em entrevista ao jornal "Expresso", o juiz-desembargador do Tribunal da Relação do Porto, Joaquim Neto de Moura, questionado sobre se "teve algum processo de violência doméstica que o tenha marcado", respondeu da seguinte forma: "Os casos que tenho julgado não são particularmente graves". Vários leitores do Polígrafo pediram uma verificação de factos relativamente a esta declaração.
  • A Philip Morris anunciou o fim da produção dos cigarros da marca Marlboro?

    Notícias publicadas um pouco por todo o mundo garantiam que no início de 2019 a Philip Morris International (produtora do mítico Marlboro) revelou a sua intenção de deixar de produzir cigarros convencionais. A essência da notícia (a empresa pondera acabar com a produção de tabaco convencional) é verdadeira, mas é falso que a intenção tenha sido anunciada agora - na verdade já tem, pelo menos, dois anos.
  • Rui Pinto, o hacker do Football Leaks: "No estrangeiro recuperam milhões; em Portugal a justiça não consegue recuperar nada."

    Em declarações prestadas ontem no tribunal de Budapeste, Rui Pinto investiu contra a justiça portuguesa, que em seu entender só se ocupa dos fracos, deixando os ricos e poderosos prevaricar. Além disso, o hacker português sublinhou a alegada ineficácia das autoridades judiciais portuguesas no domínio da recuperação de "milhões" subtraídos ao Estado.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.