André Ventura já reagiu à vitória da direita e extrema-direita em Itália, congratulando Matteo Salvini - um amigo próximo do líder do Chega - e Giorgia Meloni, de quem também é próximo, com fotografias junto aos dois políticos italianos.

O líder do Chega foi, logo de seguida, confrontado com duas fotografias de Matteo Salvini, Presidente do partido de extrema-direita italiano "Lega", ao lado de Vladimir Putin. "Para melhor, com Putin na retaguarda", lê-se no "tweet" que contrasta a posição de Ventura e as escolhas de Salvini. As fotografias são autênticas?

Em outubro de 2014, Salvini tomou um café com Vladimir Putin. Estavam os dois na reunião da ASEM, em Milão, e o encontro durou cerca de vinte minutos, como relatou o próprio Salvini, à data, no Facebook.

"Vinte minutos de um encontro cordial e construtivo com Vladimir Putin. Falámos de imigração, de paz, das empresas italianas, de valores comuns, de uma outra Europa possível. Em 2014 há diálogo, nem as guerras nem as sanções ameaçam", escreveu Salvini.

Cinco anos depois, em abril de 2019, Matteo Salvini voltava a encontrar-se com Putin, desta vez sob os olhares atentos de jornalistas que investigavam há meses as ligações entre Salvini e a Rússia. Em julho do mesmo ano, a confirmação surgiu através da Buzzfeed News, onde está também a fotografia que junta Salvini a Putin e ao vice-primeiro-ministro italiano Luigi Di Maio.

As diversas investigações sobre o financiamento da extrema-direita europeia não impediram Salvini de continuar a mostrar o seu apoio a Putin, tendo-o feito já depois do início da invasão russa na Ucrânia. Em março deste ano, o líder italiano levou consigo uma camisola com a cara de Putin (que de resto já tinha usado) e foi até à localidade polaca de Przemyśl, a apenas dez quilómetros da fronteira com a Ucrânia.

De acordo com a Buzzfeed News, já por várias vezes que o líder da Lega pediu para que as sanções da União Europeia visando a Rússia fossem retiradas, ao mesmo tempo que descrevia a anexação da Crimeia como legítima, mesmo tendo visitado a região ilegalmente ocupada em 2016. Salvini também criticou a NATO e a resposta coordenada da UE ao ataque a Salisbury por agentes da inteligência militar russa em março de 2018.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network