Acumula mais de 16 mil partilhas no Facebook desde 17 de março deste ano: trata-se de uma imagem com os preços do litro de gasóleo em nove países: Rússia, Venezuela, Ucrânia, Estados Unidos da América (EUA), Polónia, Austrália, Hungria, Espanha e Portugal.

À Rússia, que ocupa o primeiro lugar da lista, com o preço de venda mais barato (38 cêntimos por litro), é associada a situação de guerra na Ucrânia, afirmando-se ironicamente: "A culpa é do Putin." Mas vamos por partes: de acordo com o portal Globalpetrolprices.com, entre 7 de março e 13 de junho o valor médio de venda por litro de gasóleo na Rússia foi de 89 cêntimos, com um mínimo de precisamente 89 cêntimos registado a 28 de março e um máximo de 90 cêntimos a 7 de março. Para esse mesmo período, o preço médio de gasóleo no mundo era de 1,82 euros por litro.

Já na Venezuela, o preço de venda do litro de gasóleo era, para o dia 13 de junho, de 0,021 euros, ou seja, apenas 2 cêntimos. Para efeitos de comparação, o preço médio a nível mundial, no mesmo dia, era de 1,33 euros. Na Ucrânia, como seria de esperar, o preço médio do litro de gasóleo tem vindo a subir desde a invasão russa e atingiu um valor máximo de 1,89 euros no último dia 13 de junho. Entre 7 de março e 13 de junho, o valor médio de venda na Ucrânia rondou os 1,40 euros, com um mínimo registado de 1,13 euros nesse primeiro dia.

Nos EUA, durante o mesmo período de análise, o valor médio de venda do litro de gasóleo foi de 1,34 euros. O mínimo de 1,21 euros foi registado a 7 de março e o máximo de 1,45 euros a 6 de junho. De acordo com o portal, "existem grandes diferenças entre os vários estados dos EUA", sendo que os preços nos estados ocidentais são cerca de 15% mais altos do que a média nacional e, na Califórnia, são cerca de 40% mais altos.

Na Polónia, Austrália, Hungria, Espanha e Portugal, os preços de venda rondavam, respetivamente e no mesmo período, os 1,55 euros, 1,36 euros, 1,25 euros, 1,85 euros e 1,87 euros.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network