Nas imagens surge um homem de costas, junto a uma banca de supermercado, em posição que sugere estar a urinar sobre alguns produtos expostos. Na descrição do vídeo essa sugestão passa instantaneamente a certeza: “Um verme de um imigrante muçulmano urina em produtos derivados de porco num supermercado na Holanda.”

O vídeo em causa está a ser partilhado viralmente em diversos países e línguas, tendo entretanto chegado a Portugal, através do Facebook e outras redes sociais. De acordo com uma das partilhas em língua portuguesa detetada pelo Polígrafo, os "amigos" do suposto "imigrante muçulmano" terão explicado que "não comemos carne de porco", em forma de justificação daquele ato num supermercado não identificado.

"Então está tudo bem. Dizem que é o enriquecimento cultural", ironiza ainda o autor da publicação de 18 de dezembro - por entre muitas outras partilhas mais recentes do mesmo vídeo e com descrições que apontam mais ou menos no mesmo sentido.

Através de pesquisa reversa das imagens descobre-se que o vídeo foi originalmente publicado a 14 de dezembro de 2023, no Instagram, mais precisamente numa conta denominada como “Buurtwachtt”. Na descrição que apresenta nesta rede social, tudo aponta para que o utilizador, Danny Derix, se trate de um criador de conteúdos digitais dos Países Baixos - contando, nesta plataforma, com 43 mil seguidores.

Cinco dias depois, segundo reporta a AFP Checamos, o utilizador forneceu mais esclarecimentos sobre o vídeo em causa, através de uma storie partilhada na mesma rede social: “Sabem o esforço que é necessário para ter a motivação de acordar todas as manhãs e ter uma boa ideia, como urinar sobre carne de porco? Sabem o esforço que é necessário? Tenho o trabalho mais difícil do mundo.” Além disso, existem ainda outros conteúdos, na mesma conta, que parecem mostrar um indivíduo a urinar em diferentes locais.

Ao mesmo órgão de comunicação social, Danny Derix confirmou que “o vídeo é completamente falso” e que as imagens foram captadas num supermercado da cadeia de retalho Albert Heijn, em Zaandam, Países Baixos - a qual disse, por sua vez, não ter conhecimento sobre um incidente desta natureza nos seus estabelecimentos. Este indivíduo acrescentou, ainda, que o protagonista da filmagem é um “amigo” que “nunca urinou na carne nem nada do género”.

Quanto ao som que parece sustentar que tal ato teria efetivamente acontecido, providenciou mais algumas explicações: “Eu utilizei um efeito de som de urina e adicionei-o ao vídeo original. O meu objetivo foi mostrar ao mundo como é fácil criar uma informação falsa e passá-la como verdadeira.”

No dia 20 de dezembro, publicou no YouTube um vídeo em que dá a conhecer a série de quatro vídeos, por ele criada, onde se simulam situações de pessoas que estariam alegadamente a urinar em diferentes sítios, informando acerca dos “truques” usados para dar mais credibilidade aos cenários apresentados e esclarecendo que o seu objetivo era ilustrar “como a informação falsa é difundida”.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.