"Suposto míssil causador da explosão em Beirute. Que deixou mortos e centenas de feridos", indica-se na descrição do vídeo em causa, partilhado nas redes sociais através de múltiplas publicações, em diversas línguas.

Beirute míssil Facebook

Esse vídeo é autêntico? A explosão foi causada pela deflagração de um míssil?

A resposta é não. Trata-se de uma montagem a partir de uma gravação em vídeo amplamente reproduzida pelos meios de comunicação social logo após a segunda explosão ocorrida em Beirute, Líbano, no dia 4 de agosto de 2020.

O vídeo original foi analisado pela plataforma de fact-checking da AFP e não se vislumbra qualquer míssil nas imagens. Ou seja, a imagem do suposto míssil foi acrescentada na versão adulterada que está a ser difundida nas redes sociais.

explosão Beirute

Até ao momento não há qualquer informação fidedigna que aponte para um míssil como a causa das explosões que devastaram a zona portuária da capital libanesa. De qualquer modo, quanto ao vídeo em causa, não há dúvidas quanto à falsidade do mesmo, sendo a imagem do míssil uma evidente adulteração.

_______________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network