"Lula diz que com 10 reais compra o voto dos baianos!" Esta é a legenda de um vídeo que está a circular nas redes sociais, com origem no Brasil. Trata-se do ex-presidente do Brasil, Lula da Silva, e a entrevista terá sido concedida em 2017.

Este vídeo que mostra Lula da Silva a dizer que comprava votos de baianos por 10 reais é mesmo verdadeiro? Verificação de factos.

A entrevista é verdadeira, tendo sido concedida à Rádio Metrópole, de Salvador, Brasil, em meados de 2017. Pode verificar neste vídeo com a gravação original da entrevista, arquivado na página do Jornal Grande Bahia na plataforma YouTube.

O problema é que o vídeo que está a circular nas redes sociais foi manipulado, alterando várias declarações de Lula da Silva.

No vídeo manipulado, Lula da Silva profere a seguinte afirmação: "Porque, veja, eu tou apanhando que nem cachorro vira-lata, bicho. Se eu for candidato, é… Serei candidato pra ganhar, se Deus quiser, com a ajuda do povo baiano. Você sabe que aqui… Você dá 10 reais para o pobre, vira um consumidor. Então é apenas a gente saber lidar corretamente com o povo".

No vídeo com a gravação original, porém, a afirmação é diferente: "Vamos dar ao povo a chance de resolver o seu problema. Vamos incluí-lo no mercado. Você dá 10 reais para o pobre e ele vira consumidor, você dá 10 milhões de reais para um rico e ele enfia na conta bancária".

Ou seja, Lula da Silva não se estava a referir à compra de votos. A publicação em análise está a difundir um vídeo falsificado que produz desinformação.

De acordo com a Agência Lupa, plataforma brasileira de fact-checking que confirmou a manipulação, "o vídeo tira ainda outras falas de contexto. As imagens editadas iniciam com o ex-presidente afirmando que 'tudo o que o Lula fez no governo foi roubar'. Contudo, no vídeo original o petista aparece explicando a sua teoria sobre como a Operação Lava Jato construiu uma narrativa de que o PT era uma organização criminosa e que as ações tomadas durante o governo Lula foram feitas com o objetivo de roubar. Durante a entrevista, Lula defende que 'essa tese não se sustenta'".

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso