"A prova de que os telemóveis emitem radiação". Esta é a legenda que acompanha um vídeo de poucos segundos que se tornou viral no Facebook no último mês. Três jovens colocam os telemóveis em círculo numa mesa e no meio deles dispõem vários grãos de milho para pipocas. De seguida, fazem chamadas simultâneas para os aparelhos que começam a tocar e, passado alguns segundos, o milho acaba por rebentar.

Apesar de reunir centenas de comentários, reações e partilhas nas últimas semanas, o vídeo em causa tornou-se popular em 2008, tal como verificou o "Politifact". Aliás, os telemóveis utilizados na gravação são antigos. Esta é uma pista evidente que aponta para o facto de o vídeo em causa não ser atual.

Há 14 anos, o jornal "The Guardian" noticiava a disseminação deste e de outros vídeos que pretendiam provar que a radiação emitida por telemóveis em funcionamento atingia níveis tão elevados que seria suficiente para fazer pipocas. Na altura, concluiu-se que o conjunto de quatro vídeos mais populares que divulgavam a experiência tinham origem em duas contas de YouTube francesas e que fariam parte de uma estratégia de marketing para tornar os canais em causa populares.

No mesmo artigo, destaca-se a impossibilidade científica do resultado apresentado na gravação. Também em 2008, a revista "Wired", especializada em ciência e tecnologia, desmistificou a experiência através dos esclarecimentos prestados pelo professor de física da Universidade da Virgínia, Louis Bloomfield. O especialista refere, em primeiro lugar, a temperatura que teria de ser atingida para que o milho rebente, que não pode ser emitida pelos telemóveis. Caso contrário, não seria possível a utilização destes aparelhos por humanos, já que provocaria queimaduras ao toque.

Em suma, não só o vídeo analisado é antigo, tem cerca de 14 anos, como já tinha sido dado como falso nessa altura. Voltamos a assinalar o conteúdo como propagador de desinformação, por estar a circular novamente e se ter tornado novamente viral através dos reels do Facebook.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network