O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Vídeo mostra que a Ucrânia está a enviar adolescentes para a guerra?

Geração V
O que está em causa?
Na rede social X, multiplicam-se as críticas à Ucrânia após ter sido amplamente partilhado um vídeo que denuncia um alegado recrutamento de adolescentes ucranianos para combater na guerra contra a Rússia. Mas será isto verdade?

Um vídeo que mostra, alegadamente, um grupo de adolescentes a ser enviado para a guerra contra a Rússia, começou a ser partilhado viralmente nas redes sociais no final do mês de março, tendo origem em canais de propaganda russa na rede Telegram.

Num dos canais do Telegram, intitulado “TPOЙKA”, onde diariamente são difundidos conteúdos sobre a guerra, o vídeo foi visto por mais de 100 mil pessoas. Poucos dias depois, chegou ao X, mas foi numa publicação no Tik Tok que obteve mais de um milhão e meio de visualizações, dando a entender que Volodymyr Zelensky estaria a “condenar à morte jovens inocentes”.

Ao longo de vinte segundos, são compilados dois clipes, um primeiro gravado no interior de um autocarro, no qual estão jovens fardados com equipamento militar, e um segundo onde vemos uma jovem e vários rapazes igualmente fardados e com capacetes.

No X alega-se que o “criminoso Zelensky, fantoche da elite do mal, manda adolescentes ucranianos para a morte” e que estes jovens “não sabem sequer para quem estão a lutar“. O tweet conclui ainda: “Agora imaginem por um momento que é o vosso filho que ali vai.”

Mas será verdade que Zelensky está a enviar adolescentes para combater?

O vídeo é real, mas foi retirado do contexto e não retrata o envio de jovens para a guerra. Com uma análise detalhada, conclui-se que os jovens que surgem nas imagens são alunos da Escola Militar Ivan Bohun, em Kiev, cujo símbolo figura nos uniformes, no braço esquerdo.

No vídeo não há quaisquer evidência de que estes adolescentes tenham sido utilizados como soldados e, além disso, apenas os homens combatem na guerra – as mulheres não participam em ações de combate. Segundo a lei ucraniana, a idade militar na Ucrânia é dos 18 aos 60 anos, e a idade de recrutamento é aos 25 anos, portanto seria ilegal que estes jovens fossem destacados para combater.

Esta não é a primeira vez que a Ucrânia é acusada de enviar menores para a frente de combate. Já em dezembro do ano passado, o canal France24 desmentia um vídeo também partilhado na rede X, onde se afirmava que uma jovem de 14 anos estaria a combater na guerra. Contudo, era apenas uma paramédica voluntária de 24 anos.

Facto é que a Rússia criou um livro de leitura obrigatória onde se distorce a história da guerra contra a Ucrânia e se incentiva os alunos a juntarem-se ao exército. Segundo apurou a CNN, todos os adolescentes ucranianos detidos na Rússia, quando fazem 18 anos, são colocados numa lista de recrutamento militar.

Assim sendo, conclui-se que é falsa a afirmação de que jovens ucranianos estão a ser recrutados para a guerra.

_______________________________

Geração V

Este artigo foi desenvolvido pelo Polígrafo no âmbito do projeto “Geração V – em nome da Verdade”, uma rede nacional de jovens fact-checkers. O projeto foi concretizado em parceria com a Fundação Porticus, que o financia. Os dados, informações ou pontos de vista expressos neste âmbito, são da responsabilidade dos autores, pessoas entrevistadas, editores e do próprio Polígrafo enquanto coordenador do projeto.

*Texto editado por Marta Ferreira.

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque