O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Vídeo mostra “protestos em massa” no Canadá contra apoio militar à Ucrânia?

Ucrânia
O que está em causa?
Nas redes sociais afirma-se que decorreram recentemente, em território canadiano, manifestações contra o reforço da ajuda financeira disponibilizada pelo país à Ucrânia, que continua a combater a invasão russa. Verdadeiro ou falso?

“Os planos de Ottawa de fornecer apoio financeiro à Ucrânia levaram a protestos em massa em Montreal.” A alegação surge numa publicação partilhada na rede social Facebook, no dia 25 de setembro, pouco depois de o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, ter anunciado um reforço das medidas de apoio à Ucrânia.

O post remete ainda para um vídeo partilhado no X/Twitter, que mostra uma massa humana acompanhada de bandeiras verdes, alegadamente reunida nas ruas da cidade canadiana de Montreal para protestar contra tais “planos” de Ottawa para apoiar financeiramente Kiev.

post

Mas será verdade?

De facto, Justin Trudeau anunciou o referido apoio adicional a Kiev a 22 de setembro deste ano, durante uma visita do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, ao Canadá. Contas feitas, o país vai ceder mais 650 milhões de dólares canadianos (aproximadamente 451 milhões de euros ao câmbio atual) ao longo dos próximos três anos. Em comunicado do gabinete do primeiro-ministro canadiano, esclarece-se também que fazem parte do pacote “50 veículos blindados, incluindo veículos blindados de evacuação médica” destinados às tropas ucranianas.

Porém, o protesto gravado e disseminado nas redes sociais nada têm a ver com esta opção política do Executivo do país. Segundo a “AFP Checamos”, uma pesquisa com recurso à ferramenta “InVid-WeVerify” exibiu um vídeo publicado, a 24 de setembro deste ano, na rede social TikTok, que cita a conta @AnonymousCitoyen.

No perfil com o mesmo nome no X/Twitter, encontra-se, de facto, o vídeo citado, datado do mesmo dia: 24 de setembro. A legenda oferece, no entanto, algum contexto adicional sobre o que está efetivamente em causa: “Mais de 100.000 funcionários públicos estão a manifestar-se em Montreal, no Quebeque, para exigir salários mais altos para acompanhar a inflação. Ameaçam com uma greve geral por tempo indeterminado se o governo não atuar.”

Alguns meios da imprensa local também noticiaram esta manifestação nacional, realizada no sábado, dia 23 de setembro, e organizada por elementos da Frente Comum Intersindical, que assumem como missão a melhoria das condições de trabalho e salariais no setor público. “Os trabalhadores do sector público do Quebeque, alguns com kazoos [instrumento de sopro] e buzinas, marcharam em Montreal, no sábado, para exigir salários mais altos e melhores condições de trabalho, num contexto de impasse nas negociações contratuais com o governo provincial”, contextualizou a agência noticiosa “The Canadian Press”.

Também outro vídeo partilhado no canal do YouTube da Central dos Sindicatos de Québec (CSQ), que faz parte da Frente Comum Intersindical, ilustra a mesma manifestação apresentada no vídeo analisado, que decorreu na Praça do Festival – apresentando a mesma massa humana e, também, as bandeiras verdes. Cenário semelhante é apresentado, também, num comunicado partilhado no site da mesma estrutura sindical.

À AFP, a Central dos Sindicatos de Québec assegurou ainda que o protesto “não teve nada a ver com a guerra na Ucrânia ou com o seu financiamento”, mas que “visava apoiar os trabalhadores do setor público (Educação, Saúde e Serviços Sociais) atualmente em negociações com o governo de Québec para a renovação dos seus acordos coletivos”.

Perante os factos, basta ao Polígrafo constatar que as alegações que dão conta de que esta manifestação pretendia demonstrar o descontentamento da população canadiana face ao apoio militar prestado à Ucrânia são falsas.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque