"Boris Johnson numa festa em plena pandemia. Quem é desta seita tudo pode. Urge acabar com esta gente.", destaca-se no Facebook, numa publicação de 16 de janeiro de 2022. No vídeo, o primeiro-ministro do Reino Unido está a dançar com uma mulher, num ambiente de festa.

A gravação começou a ser partilhada após Boris Johnson ter admitido que participou numa festa de jardim, no número 10 de Downing Street, a residência oficial do primeiro-ministro, durante o primeiro confinamento em maio de 2020. "Quero pedir desculpa. Sei que milhões de pessoas neste país fizeram sacrifícios extraordinários nos últimos 18 meses", disse o governante numa sessão de perguntas no parlamento. “Sei que houve coisas que simplesmente não acertámos, e devo simplesmente assumir a responsabilidade”, acrescentou.

O protagonista do escândalo, agora conhecido como "PartyGate", referiu ainda que pensava tratar-se de um "evento de trabalho", que apenas permaneceu no encontro durante 25 minutos, e admitiu que devia ter interrompido a reunião.

No entanto, o vídeo a circular nas redes sociais não tem qualquer relação com estes acontecimentos. Tal como apurou a Reuters, estas imagens foram captadas antes da pandemia de Covid-19, quando Johnson ainda era prefeito de Londres.

A informação foi confirmada por fonte oficial da Prefeitura de Londres. A festa de Natal remonta a dezembro de 2015 e a mulher que surge no vídeo a dançar com Boris Johnson é Jennette Arnold OBE, membro da Assembleia de Londres entre 2000 e 2021. Arnold afirmou no Twitter: "Não posso mentir, sou eu, ex-presidente da Assembleia de Londres a dançar com Boris Johnson, ex-prefeito de Londres. A festa de Natal foi na Prefeitura há muitos anos".

Em suma, o primeiro-ministro britânico está, de facto, envolvido num escândalo por ter estado presente em festas durante os períodos de confinamento no Reino Unido, mas as imagens a circular nas redes sociais e que mostram Boris Johnson a dançar estão a ser utilizadas de forma descontextualizada. Tratam-se de imagens de uma festa de Natal, em 2015.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falta de contexto: conteúdos que podem ser enganadores sem contexto adicional.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Descontextualizado
International Fact-Checking Network