O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Vídeo de soldados ucranianos a despedirem-se das suas mulheres é real?

Ucrânia
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
As imagens retratam militares fardados a despedirem-se de mulheres com abraços, beijos e até mesmo flores. De acordo com as descrições (em diversos idiomas) do vídeo que está a ser partilhado nas redes sociais, desde há duas semanas, são soldados ucranianos a caminho da frente de combate contra os invasores russos, no contexto da guerra em curso. Essas imagens são autênticas e atuais?

Soldados ucranianos despedindo-se das mulheres“, descreve-se numa das publicações do vídeo no Facebook. Também se propagou noutras redes sociais, com mensagens em diversos idiomas, ao longo das últimas duas semanas.

As imagens retratam militares fardados a despedirem-se de mulheres com abraços, beijos e até mesmo flores. De acordo com as descrições do vídeo, em alguns casos mediante legendas, são soldados ucranianos a caminho da frente de combate contra os invasores russos, no contexto da guerra em curso.

Ora, essas imagens são autênticas e atuais?

São autênticas, mas não são atuais e estão a ser difundidas de forma descontextualizada. Foram recolhidas a partir de um documentário de 2017, “A Guerra das Quimeras” (tradução livre do inglês: “The War of Chimeras”), realizado pelas ucranianas Anastasiia Starozhytska (guionista e cineasta) e Mariia Starozhytska (jornalista e escritora).

As imagens são reais, tendo sido captadas no dia 23 de junho de 2014, na Ucrânia. Retratam soldados ucranianos a despedirem-se das suas companheiras, em Kiev, antes de partirem para combater separatistas pró-Rússia na região de Donbass, situada no extremo Leste do país.

“A história de guerra, amor e morte que foi documentada pelos participantes imediatos dos acontecimentos. Fora do ecrã e mais tarde no ecrã, são os dois – um rapaz e uma rapariga. Ele voluntariou-se para a frente; ela foi para o local logo após a batalha. Ele entrou no drama de Ilovaysk, perdeu os seus irmãos-soldados mais próximos. Ela, ao viajar ao longo das cidades arruinadas, esforça-se por compreender a essência da guerra e do amor”, descreve-se numa sinopse do filme.

O documentário está disponível no YouTube e as imagens da despedida dos soldados aparecem logo a partir do segundo minuto de duração (pode ver aqui).

Em conclusão, as imagens estão a ser difundidas agora de forma descontextualizada, como se tivessem sido captadas durante a presente invasão da Ucrânia por forças militares da Rússia, iniciada na madrugada de 24 de fevereiro de 2022.

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falta de contexto: conteúdos que podem ser enganadores sem contexto adicional.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes