A discussão na generalidade do Orçamento do Estado (OE) para 2021, na Assembleia da República, foi acesa e inspirou a realização de algumas profecias por parte de André Ventura.

No dia 27 de outubro de 2020, o deputado do Chega, na sua primeira intervenção, a propósito do Orçamento que já se sabia ir ser viabilizado pela abstenção de PCP, PEV, PAN e das duas deputadas não inscritas, fez a seguinte previsão: “Independentemente de quem vier a apoiar ou a aprovar este Orçamento há uma coisa que temos a certeza: daqui a seis meses o seu Governo não continuará em funções e os portugueses vão exigir responsabilidades a quem aprovar este Orçamento do Estado”.

“Independentemente de quem vier a apoiar ou a aprovar este Orçamento há uma coisa que temos a certeza: daqui a seis meses o seu Governo não continuará em funções e os portugueses vão exigir responsabilidades a quem aprovar este Orçamento do Estado”.

Na segunda e última vez que tomou a palavra nesse dia de debate, André Ventura voltou ao mesmo campo de previsões: “Mas há uma coisa, senhor primeiro-ministro, que sabemos também deste Orçamento: é que ele não vai chegar ao fim, como não chegará ao fim este Governo. (…) E há uma coisa que sabemos deste Orçamento: a sua execução não vai chegar ao fim, mas a fatura que dele virá chegará ao bolso dos portugueses, já no próximo ano, cá estará de novo a direita para resolver os problemas que os senhores arranjaram.”

“Mas há uma coisa, senhor primeiro-ministro, que sabemos também deste Orçamento: é que ele não vai chegar ao fim, como não chegará ao fim este Governo".
  • Costa disse que "o Governo cai no dia em que precisar dos votos do PSD para aprovar um Orçamento"?

    Questionado sobre a possibilidade de o PSD viabilizar o Orçamento do Estado para 2022 em caso de falhanço das negociações entre o PS e os partidos mais à esquerda, para evitar uma crise política, Rui Rio lembrou que António Costa terá fechado essa porta "há um ano e tal", quando "disse muito claramente que o Governo cai no dia em que precisar dos votos do PSD para aprovar um Orçamento do Estado". Confirma-se?

Portanto, é verdadeiro que André Ventura assegurou que o Governo cairia na vigência do Orçamento do Estado para 2021, o que não se verificou, no momento da sua aprovação na generalidade (outubro de 2020).

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network