"Auto-estradas espanholas que ligam a Portugal vão ter portagens", destaca-se no título do artigo que está a ser partilhado nas redes sociais, com origem num site dedicado a camionistas. "Governo espanhol pode usar o modelo português de pagamentos nas novas portagens, mas com preços até nove vezes mais baixos. Todas as auto-estradas em Espanha vão ter portagens a partir de 2024", lê-se no respetivo texto.

"A medida anunciada pela ministra dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana, Raquel Sánchez, vai afetar mais de nove mil quilómetros de vias, incluindo as seguintes ligações a Portugal: Auto-estrada A5 (entre Badajoz e Madrid), com ligação a Portugal na zona de Elvas; Auto-estrada A52 (Vigo/Villabrázaro) que faz ligação em Portugal a partir de Valença; Auto-estrada A62 (que liga Ciudad Rodrigo a Burgos), com passagem na fronteira de Vilar Formoso; Auto-estrada A49 (entre Ayamonte e Sevilha) que liga a Portugal nas proximidades de Vila Real de Santo António", especifica-se.

Em recente artigo de verificação de factos, no qual se comprovou que deixariam de ser cobradas portagens em 500 quilómetros de auto-estradas em Espanha a partir de 1 de setembro de 2021, o Polígrafo já tinha sublinhado que essa gratuitidade seria transitória e, aliás, todas as auto-estradas poderiam passar a ter portagens a partir de 2024.

O jornal "El País", no dia 5 de maio de 2021, revelou que "o Governo de Espanha planeia estender o sistema de portagens a todas as rodovias do país, tanto nacionais como regionais". Mais precisamente, "um mecanismo de pagamento pela utilização da rede estatal de alta capacidade (auto-estradas e vias rápidas) a partir do ano de 2024", abrindo a porta à extensão desse sistema a "todas as estradas de grande capacidade do país, tanto nacionais como regionais, segundo o que consta do Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência que foi remetido pelo Governo de Pedro Sánchez a Bruxelas".

O Governo pondera ensaiar primeiro a aplicação de portagens nos 12.000 quilómetros de auto-estradas e vias rápidas estatais, para depois expandir esse modelo também no âmbito dos 14.000 quilómetros de estradas nacionais de faixa única e abrir um processo de negociação com as administrações autónomas para a sua implantação nas rodovias de alta capacidade que se encontram sob a gestão destas", salientou o "El País", com base no documento enviado pelo Governo de Espanha à Comissão Europeia.

Essa hipótese foi confirmada mais recentemente pela ministra dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana, Raquel Sánchez. De facto, a partir de 2024, vão passar a ser cobradas portagens em todas as auto-estradas de Espanha.

"A instalação de portagens resulta da necessidade do Estado de obter novos recursos para financiar os serviços públicos. Atualmente, a construção e conservação de estradas sem portagens é paga com o Orçamento Geral do Estado. Em 2022 vão ser destinados 1.371 milhões de euros para a sua conservação e neste âmbito há um défice acumulado de 9.000 milhões de euros", informou o jornal "El Mundo", a 20 de outubro.

"A primeira razão para o pagamento nas auto-estradas consiste nessa necessidade equilibrar as contas públicas. A segunda tem uma componente de sustentabilidade. Trata-se de aplicar o princípio do 'poluidor-pagador' também no transporte de pessoas e passageiros: parece ser lógico que quem mais suja o meio ambiente também providencie os recursos necessários para o limpar, não imputando esses custos a todos os contribuintes em geral", salientou o mesmo jornal.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network