"O circo veio para ficar… Mesmo depois da vacinação vai ser necessário continuar a usar máscara, para evitar a transmissão do vírus… Máscaras para sempre", lê-se na publicação em causa, apontando para uma notícia da RTP, de 7 de fevereiro, com o seguinte título: "Vacinação não impede possível transmissão do vírus a terceiros".

Esta publicação foi denunciada como sendo falsa ou enganadora. O Polígrafo verifica.

As pessoas vacinadas contra a Covid-19 só são consideradas como imunes à doença cerca de uma semana após a administração da segunda dose. De acordo com a informação emitida pela Direção-Geral da Saúde (DGS), é esse o período de tempo que confere garantia quanto a uma resposta robusta por parte do sistema imunitário.

Por outro lado, ainda não se sabe se a vacina impede a infeção assintomática. Embora proteja contra a doença, não impede que o indivíduo seja portador e transmissor do vírus, sem exibir quaisquer sintomas, e é nesse sentido que as máscaras e o distanciamento físico ou social continuam a ser recomendados para evitar a transmissão.

Questionado pelo Polígrafo, Pedro Simas, virologista do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa, explica que "a eficácia das vacinas para a prevenção de infeção não é 100%. E há sempre a possibilidade de uma pessoa vacinada durante um pequeno período de tempo ser infetada e transmitir a infeção, mesmo sendo assintomática".

Além disso, Simas considera que é também uma "questão prática e logística", pois seria "extremamente difícil diferenciar os vacinados dos não vacinados" sem a introdução de um "passaporte imunológico".

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA informa na sua página oficial que "ainda não há informação suficiente para dizer se ou quando o CDC vai recomendar que as pessoas deixem de utilizar máscara e evitar o contacto com outras pessoas", uma vez que "os especialistas precisam de compreender melhor a proteção que as vacinas para a Covid-19 fornecem antes de tomar essa decisão". No âmbito de tal decisão também pesará o número de pessoas que forem vacinadas e como se irá desenvolver a propagação do vírus nas comunidades.

"Enquanto os especialistas aprendem mais sobre a proteção que as vacinas para a Covid-19 fornecem, em condições de vida real, será importante que todos continuem a utilizar todas as ferramentas disponíveis para ajudar a parar esta pandemia", sublinha o CDC.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network