"Qual a entidade que permite esta situação? Não deveria haver um limite máximo diário a cobrar para este serviço? Quem protege o cidadão face a um assalto à mão armada como este?", questiona uma das várias contas de Facebook que partilharam a publicação original.

Segundo a mesma, e a imagem que a acompanha, no passado dia 30 de novembro um cidadão foi confrontado com um total de 823 euros a pagar por estacionamento durante um dia, 10 horas e 31 minutos no parque do Aeroporto de Lisboa. Rapidamente surgiram múltiplos comentários com relatos semelhantes ao apresentado, a lamentar as altas taxas de estacionamento cobradas no local.

Mas há, nessa mesma imagem, um pormenor que não salta imediatamente à vista mas que é importante para perceber como é que aquele valor foi atingido, ou seja, o lugar onde se encontrava o carro era o "Parque Curbside Partidas", ou o também conhecido "Kiss and fly".

Segundo o portal do Aeroporto de Lisboa, este espaço foi criado para reduzir o trânsito em redor das partidas e chegadas do aeroporto, sendo considerada uma área de estacionamento "reservada para paragens rápidas, gratuitas até aos dez minutos, em que não precisa sequer de sair do carro".

Contactada pelo Polígrafo, a ANA Aeroportos informa que "a situação que é descrita não respeita a um parque de estacionamento, mas sim à área de 'Largada de passageiros/Drop-off'. Trata-se de uma área dedicada à paragem para largada de passageiros e não ao estacionamento de viaturas.

"Esta área é de utilização gratuita nos primeiros 10 minutos para permitir a largada de passageiros" e o tarifário a ela aplicado "está devidamente comunicado à entrada", continua fonte oficial. Já para estacionamento de viaturas, a ANA explica que "são disponibilizados vários parques, devidamente sinalizados, como o P1, o P2 ou o P3".

  • Governo ignorou alerta do PSD para o aumento de passageiros nos aeroportos?

    Uma questão levantada pelo Grupo Parlamentar do PSD, a 17 de maio, colocava o Governo a par de um problema que teve lugar já no ano passado nos aeroportos nacionais. Filas, horas de espera e voos perdidos parecem ter aumentado exponencialmente com a requisição de testes negativos para viajar. Mas será que o Governo não fez nada para o impedir?

O Polígrafo consultou o tarifário previsto para 2021 neste três parques de estacionamento. Verifica-se que há um limite máximo diário de 47 euros para o P1, 26 euros para o P2 e 15 euros para o P3. Desta forma, "evita-se assim a paragem prolongada e a concentração de viaturas em espera à frente do terminal, reduzindo o nível de congestionamento e permitindo que a largada de passageiros se realize de forma organizada, segura e confortável".

Quanto ao que acontece numa situação de utilização indevida da área de largada de passageiros, como a descrita na publicação em causa, a ANA esclarece que esta é analisada pontualmente, sendo que, "mediante apresentação de factos atendíveis", procura-se "encontrar uma solução adequada".

Em suma, ainda que o extrato apresentado na publicação em causa seja autêntico e os valores reais, esta não se trata de uma cobrança por estacionamento devido no Aeroporto de Lisboa, mas antes num local de "passagem", sendo cobrado 1 euro por cada período de 5 minutos após os 10 minutos grátis e 2 euros
por cada 5 minutos depois dos 15 minutos.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network