O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Polícia alemã autorizada a multar em 5 mil euros quem vestir camisolas contrafeitas no Euro2024?

Desporto
O que está em causa?
No início oficial do Euro2024 e a poucos dias da estreia de Portugal, perguntamos se a polícia alemã vai poder multar os adeptos que vistam camisolas falsificadas.
© José Sena Goulão/Lusa

No dia que marca o início oficial do Europeu 2024, a decorrer na Alemanha, há publicações que garantem que, devido às leis alemãs, os adeptos ingleses que vestirem camisolas falsas podem ser multados em até 4 mil libras, ou seja, cerca de 5 mil euros.

As teorias começaram a circular depois de o jogador de futebol alemão, Christoph Kramer, ter sido visto a usar uma camisola falsificada da seleção espanhola, como escreveu o diário “Bild”, numa entrevista em direto para um canal de televisão. Kramer explicou que queria apenas demonstrar solidariedade para com a seleção espanhola, que jogava contra a Irlanda do Norte, mas que, como não conseguiu encontrar uma camisola original em Maiorca, onde se encontrava, teve que vestir a única que estava disponível: uma falsificada.

Será que se um adepto fizer o mesmo durante o Euro2024 pode ser multado em cinco mil euros?

Não. Apesar de alguns vídeos partilhados no TikTok argumentarem que vão ser feitas “verificações aleatórias” nos estádios e que “as leis alemãs permitem que a polícia o faça”, é falso que os fãs tenham que se preocupar. À (Deutsche Welle (DW), Yvonne Schamber, porta-voz da Direção Alfandegária da Alemanha, garantiu que “a administração aduaneira não tem informações sobre possíveis multas em relação ao uso de camisolas falsificadas.”

O problema surge apenas se estes produtos forem negociados ou usados comercialmente: “Oferecer ou vender camisolas falsificadas pode ser um caso para as autoridades competentes, como a polícia.” Schamber acrescentou ainda que os indivíduos podem importar mercadorias para uso pessoal: “Para viagens dentro do território aduaneiro da UE, não há restrições alfandegárias para indivíduos que transportam os seus bens pessoais. Portanto, na esfera privada, um fã pode importar as suas camisolas pessoais.”

A Direção de Alfândega deixa ainda assim uma alerta aos adeptos: que se abstenham de comprar produtos que violem os direitos de propriedade intelectual. “Bens falsificados prejudicam a economia, o mercado de trabalho e a concorrência justa. Muitas vezes, esses produtos são de qualidade inferior ou representam riscos para a saúde.”

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque