A pandemia causada pelo novo coronavírus veio para ficar, pelo menos durante os próximos meses. O Governo anunciou que o pico da doença só deverá ser atingido no final de abril ou início de maio, as medidas para conter a propagação do vírus vão-se multiplicando, o Presidente da República declarou o estado de emergência em Portugal e o Parlamento aprovou-o. O resultado é uma economia a paralisar, gradualmente, com milhares de portugueses em casa e diversas atividades suspensas como é o caso dos campeonatos de futebol profissional da Primeira Liga e da Segunda Liga desde o dia 12 de março.

Ora, perante um clima de incerteza sobre a altura em que Portugal e o mundo poderão retomar a vida normal, surgiram nas redes sociais várias publicações anunciando que a UEFA poderá considerar como campeãs as equipas que, na altura em que os jogos foram suspensos, estavam à frente nas classificações. Isto significa que, por cá, na Primeira Liga, o Futebol Clube do Porto seria considerado campeão, por estar um ponto à frente do Sport Lisboa e Benfica.

Porém, a realidade não é esta. A UEFA reuniu na terça-feira, dia 17 de março, por videoconferência, com os representantes das 55 federações nacionais de futebol, com a Associação Europeia de Clubes, a Associação das Ligas Europeias e a FIFPro. Do encontro resultou a decisão de adiar o Euro 2020 para 2021. Através de um comunicado, a União das Associações Europeias de Futebol anunciou também que, assim sendo, sem Campeonato da Europa no calendário, os representantes europeus de futebol comprometeram-se a concluir todas as competições domésticas até dia 30 de junho de 2020. Contudo, este prazo só poderá ser cumprido caso as condições sanitárias relacionadas com a Covid-19 o permitam.

Em Portugal, segundou apurou o jornal "O Jogo", a Comissão Permanente de Calendários da Liga já esboçou um plano para as novas datas dos jogos, prevendo o primeiro fim-de-semana de maio como a altura em que o campeonato vai retomar a normalidade. Ainda assim, o esquema é provisório e depende dos pareceres das autoridades de saúde e das decisões do Governo em relação às medidas de contenção da Covid-19.

Em conclusão, a UEFA não vai entregar, em Portugal, o título de campeão ao Futebol Clube do Porto, isto porque o objetivo é que todas as competições cheguem, de facto, ao fim. Se não for até 30 de junho, que seja em datas posteriores, mesmo que o atraso implique cedências de várias partes, uma vez que, por exemplo, contratos de jogadores e treinadores são, regra geral, válidos até ao final desse mês.

***

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações “Falso” ou “Maioritariamente Falso” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network