“O Twitter desligou a rede inteira para abrandar a propagação de notícias negativas sobre Biden”, acusou o candidato republicano às eleições americanas, Donald Trump, através de um tweet onde manifesta a sua indignação pela alegada dualidade de critérios utilizada por aquela rede social face aos dois candidatos presidenciais. 

Para o atual titular da Casa Branca, as notícias  alegadamente negativas sobre o seu rival estariam a ser "escondidas" pela sua rede social de eleição. Entre elas estariam as que se referem ao suposto "péssimo" desempenho de Biden numa entrevista recente. Para suportar - e fundamentar - a sua tese, Trump partilhou uma notícia sobre o tema na sua conta pessoal no Twitter. Publicada originalmente no portal "The Babylon Bee", a peça revela que “num último esforço para impedir que histórias negativas sobre Joe Biden e a sua família se espalhem, o Twitter fechou toda a sua rede social”.

As alegações do presidente dos EUA são alicerçadas em factos?

A resposta é não, entre outras coisas porque, como explica o jornal espanhol de fact-checking "Maldita.es", a "notícia" que o Presidente dos EUA partilhou como sendo verdadeira é, na realidade, um conteúdo satírico, publicado num site conhecido pelos seus textos humorísticos.

A história do "The Babylon Bee" contava que Jack Dorsey, CEO do Twitter, ao ver várias publicações sobre “uma história particularmente má”, decidiu agir e partiu "uma caixa de vidro que tinha no escritório e na qual estava escrito ‘Break In Case Of Bad Publicity For Democrats’ [‘Partir em caso de má publicidade para os democratas’, em português]". 

O "The Babylon Bee" apresenta-se como “o melhor site satírico do mundo”. Na biografia da conta do portal no Twitter pode ler-se: "As fake news em que pode acreditar". 

Twitter

Por tudo isto conclui-se que é falso que o Twitter tenha sido desligado para conter a disseminação de "notícias más" para Biden. Donald Trump partilhou um texto de um site satírico como se fosse uma informação verdadeira.
___________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network