"Ao retornar à sua cidade-natal, Rayssa Leal recusou-se a tirar fotos com políticos locais. Durante a sua trajetória no skate, a atleta não recebeu apoio dos políticos da cidade. O seu pai ia sempre até à Secretaria de Desportos da cidade em busca de ajuda, mas nunca recebia uma resposta positiva", lê-se no post em causa, de 29 de julho, partilhado por milhares de pessoas.

Esta história é verdadeira?

A origem remonta a um artigo de opinião publicado no jornal brasileiro "Metrópoles", a 28 de julho, pelo colunista Leo Dias, com o seguinte título "Fada sensata? Rayssa Leal se recusa a posar com políticos locais". Foi a partir desse artigo que a história saltou para as redes sociais e chegou mesmo a ser replicada noutros órgãos de comunicação social brasileiros.

"Medalhista brasileira no skate voltou à cidade-natal, Imperatriz, e dispensou agenda com nomes da política maranhense. Rayssa Leal conquistou a prata no skate street nas Olimpíadas de Tóquio, tornando-se a atleta brasileira mais jovem a conquistar medalhas em uma Olimpíada. Na manhã desta quarta-feira (28/7), nossa fadinha fez uma carreata em sua cidade natal, Imperatriz, no Maranhão. Em suas redes sociais, a skatista pediu para que seus fãs não comparecessem ao local, já que o Brasil ainda vive uma pandemia. Mas, nos bastidores, o que circula é que ela também não quis posar ao lado de políticos da região", escreveu o colunista.

"Isto porque em nenhum momento a jovem recebeu apoio dos políticos da cidade para a sua trajetória no esporte. Pessoas próximas a Rayssa afirmam que o pai dela sempre ia até à Secretaria de Desportos da cidade em busca de ajuda, mas nunca recebia uma resposta positiva. Assis Ramos, reeleito para prefeito de Imperatriz pelo DEM, até teria tentando organizar uma recepção na pista de skate da região para a medalhista, mas recebeu uma negativa da família, que disse, além de não comparecer à ceriménia, a atleta não vincularia sua imagem a ele", sublinhou.

O Polígrafo contactou a autarquia de Imperatriz que, remetendo para um comunicado da Secretaria de Desporto, Lazer e Juventude (Sedel-Juv), esclareceu que as informações "divulgadas pelo colunista Leo Dias, do jornal 'Metrópoles' de São Paulo, são falsas. O colunista, sem usar a ética jornalista, que é o de ouvir os dois lados, inadvertidamente, usou um jornal de circulação mundial como o 'Metrópoles' para divulgar fofocas de bastidores que não se coadunam com a verdade".

"A Sedel-Juv, desde o primeiro mandato do prefeito Assis Ramos, sempre deu apoio à skatista e agora medalhista olímpica, Rayssa Leal, com passagens aéreas para ela participar em torneios no Brasil e no exterior, alimentação entre outros", realçou.

"A gestão do prefeito Assis Ramos sempre tem políticas públicas voltadas para o desporto, com vários projetos, e para a Rayssa não é diferente. Além de apoio financeiro, praticamente construiu uma nova pista de skate, tudo em conformidade com o que foi solicitado pelo pai da Rayssa e por ela mesma", concluiu.

Aliás, Assis Ramos, presidente da autarquia de Imperatriz, publicou três fotografias com Rayssa Leal na sua página no Facebook, ao longo dos últimos anos. Numa imagem de 2018, Assis Ramos congratulava a atleta pela conquista da terceira posição no campeonato feminino do "Skate Total Urbe" (STU). Numa imagem de 2019, o autarca assinalava a data da remodelação da pista de skate de uma praça de Imperatriz com uma fotografia ao lado de Rayssa Leal. Numa imagem de 2020 desejava felicidades a Rayssa Leal pelo seu 12º aniversário.

Mais, aquando da chegada de Rayssa Leal a Imperatriz, após a participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio, foi organizada uma receção à atleta que surgiu numa viatura do Corpo de Bombeiros da cidade.

Em suma, não há quaisquer evidências de que Rayssa Leal tenha recusado tirar fotografias com políticos da sua cidade-natal. Também não é verdade que a jovem skater não tenha recebido apoios por parte da autarquia de Imperatriz.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network