"Sabia que... A TAP com prejuízo diário de 1,1 milhões de euros vai receber, até ao final do ano, mais 900 milhões de euros dos contribuintes portugueses. Isto é um roubo!" Assim se destaca num post de 24 de agosto no Facebook que suscitou dúvidas a leitores do Polígrafo.

De facto, no dia 23 de agosto, a TAP - Transportes Aéreos Portugueses emitiu um comunicado de divulgação de resultados - remetido à Comissão do Mercado de Valores mobiliários (CMVM) -, através do qual informou que, no segundo trimestre de 2022, "o resultado líquido melhorou 47,6 milhões de euros, em comparação com o segundo trimestre de 2021, para -80,4 milhões de euros, apesar do impacto líquido negativo das diferenças cambiais de 58,2 milhões de euros resultante da evolução desfavorável do Euro".

Somando os prejuízos do primeiro trimestre de 2022, que ascenderam a -128,1 milhões de euros, chegamos ao valor total de -202,1 milhões de euros no primeiro semestre de 2022. E dividindo esse valor pelos 180 dias (correspondentes a seis meses) resulta em cerca de 1,1 milhões de euros de prejuízos por cada dia, tal como está indicado na publicação sob análise.

Ainda assim representa uma melhoria substancial em comparação com os prejuízos do primeiro semestre de 2021, quando a TAP registou um resultado líquido negativo de -493,1 milhões de euros.

"No primeiro semestre de 2022, as receitas atingiram 1.321,2 milhões de euros, um aumento de 245% em relação ao primeiro semestre de 2021. Juntamente com o maior nível de atividade (ASK aumentou 217%), também os custos operacionais registaram um aumento significativo de 73% para 1.316,8 milhões de euros, levando a um EBIT positivo em 4,4 milhões de euros, um aumento de 381,7 milhões de euros em relação ao primeiro semestre de 2021", salienta-se no mesmo documento.

"O EBIT Recorrente, excluindo os itens não recorrentes de -3 milhões de euros, também foi positivo em 1,4 milhões de euros. Os juros líquidos e a evolução cambial desfavorável, particularmente no segundo trimestre, levaram a um resultado líquido em -202,1 milhões de euros, ainda assim 291,1 milhões de euros melhor do que no mesmo semestre de 2021", acrescenta-se.

Quanto aos "mais 900 milhões de euros dos contribuintes portugueses", na realidade são 990 milhões de euros de verba destinada à TAP e inscrita no Orçamento do Estado para 2022. Aliás, o Plano de Reestruturação da TAP, aprovado pela Comissão Europeia no final de 2021, prevê um apoio do Estado à TAP de 3,2 mil milhões de euros no total.

______________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network