“A TAP nos últimos 10 anos sem Covid e com o turismo a bombar deu prejuízos em 9 desses anos!!! Parem de roubar. Parem de enganar. A TAP é um palheiro a arder”, acusa-se numa publicação disseminada pelas redes sociais. 

TAP

É verdade que a TAP só não deu prejuízo uma vez nos últimos dez anos? Verificação de factos.

A análise dos relatórios de contas da TAP entre 2009 e 2019 permite concluir que a companhia aérea acumulou prejuízos de 640 milhões de euros durante esse período. Esta década começou com o resultado menos negativo de todos: em 2009, a TAP registou prejuízos de 3,5 milhões de euros, uma recuperação de 98,8% face ao ano anterior. 

A análise dos relatórios de contas da TAP entre 2009 e 2019 permite concluir que a companhia aérea acumulou prejuízos de 640 milhões de euros durante esse período.

A transportadora nacional aumentou os prejuízos em 2010, ao registar um resultado negativo de 57,1 milhões de euros, bem como em 2011, com 76,8 milhões de euros negativos. Em 2012, iniciou-se um período de melhoria de dois anos, com prejuízos de 25,5 milhões de euros, seguidos de 5,9 milhões de euros negativos em 2013. 

Já em 2014, as perdas escalaram para 85,1 milhões de euros, seguidas de um agravamento para 156 milhões logo a seguir. No final de 2016, as contas perfaziam 27,7 milhões de euros de prejuízos. 

Houve, no entanto, um ano em que as contas se mantiveram acima do zero. Em 2017, a TAP fechou o ano com um resultado líquido positivo de 21,2 milhões de euros. No entanto, em 2018 a empresa voltou a terreno negativo, com perdas de 118 milhões de euros. No ano passado, o cenário não foi diferente e registaram-se prejuízos de 105,6 milhões de euros. 

Houve, no entanto, um ano em que as contas se mantiveram acima do zero. Em 2017, a TAP fechou o ano com um resultado líquido positivo de 21,2 milhões de euros. No entanto, em 2018 a empresa voltou a terreno negativo, com perdas de 118 milhões de euros. No ano passado, o cenário não foi diferente e registaram-se prejuízos de 105,6 milhões de euros. 

Para o ano em curso, está igualmente garantido um fecho negativo: no dia 30 de novembro, a TAP partilhou com os seus investidores as contas dos primeiros três trimestres de 2020 e o cenário não é positivo. “O resultado líquido no terceiro trimestre de 2020 foi negativo em 118,7 milhões de euros, contribuindo para o resultado negativo de EUR 700,6 milhões nos primeiros nove meses do ano”, lê-se no comunicado emitido pela empresa. Até ao fim do ano, como o Polígrafo já explicou, o resultado negativo deverá ficar num intervalo entre 800 milhões e mil milhões de euros.  

Assim, confirma-se que, nos últimos 10 anos, a TAP só fechou as contas anuais no "verde" uma vez. Em 2017, a companhia aérea nacional registou um resultado líquido positivo de 21,2 milhões de euros. Ao longo dessa década, acumulou 640 milhões de euros de prejuízos. 

________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network