"Ao que isto chegou", comenta-se num tweet de 17 de janeiro que exibe várias imagens de garrafas de azeite (e óleo alimentar) acorrentadas a prateleiras de supermercados, com cadeado. Há vários exemplos de publicações com as mesmas imagens, em que as descrições ou comentários apontam no mesmo sentido.

Estas fotografias estão a ser partilhadas nas redes sociais como se tivessem sido captadas recentemente, em Portugal, numa altura em que o preço deste bem de primeira necessidade atinge níveis historicamente elevados. Nas etiquetas dispostas nas prateleiras indica-se, por exemplo, que um garrafão de cinco litros de azeite custa cerca de 25 euros.

As imagens em causa são reais e foram captadas em Portugal?

São reais, mas não se trata de um qualquer supermercado em Portugal.

A situação reportada ocorreu em Espanha. Segundo uma notícia publicada no jornal digital “The Objective”, a 29 de agosto de 2023, alguns supermercados naquele país terão decidido “colocar alarmes nas garrafas de azeite e nos garrafões, tendo em conta o aumento dos roubos em diferentes comunidades autónomas”.

Além disso, uma das imagens que ilustra a notícia surge replicada na publicação do X/Twitter que estamos a analisar. Ou seja, foi captada em Espanha mas está a ser difundida como se tivesse sido captada num supermercado em Portugal.

Importa também notar que as marcas de azeite e óleo apresentadas na imagem - como a Coosur e a Capicua - também são espanholas e não portuguesas.

Outra das imagens do tweet (mais precisamente no canto inferior esquerdo) foi captada pela agência de notícias Reuters e foi publicada num artigo do jornal brasileiro Folha de São Paulo”, a 20 de novembro de 2023, com o seguinte título em destaque: "Supermercados da Espanha trancam azeite com aumento de furtos em lojas."

De resto, não há qualquer informação de que supermercados em Portugal estejam a recorrer ao mesmo procedimento de acorrentar garrafas de azeite para impedir furtos. No entanto, o Polígrafo verificou em 2022 que estavam a colocar alarmes anti-roubo noutros produtos alimentares como lombos de bacalhau ou picanha.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.