"A Suécia interrompe o uso de testes de PCR. 'A Agência Sueca de Saúde Pública desenvolveu critérios nacionais para avaliar a ausência de infeção em Covid-19. A tecnologia de PCR usada em testes para detetar vírus não consegue distinguir entre vírus capazes de infetar células e vírus que foram neutralizados pelo sistema imunológico e, portanto, esses testes não podem ser usados ​​para determinar se alguém é contagioso ou não", lê-se num post de 25 de maio no Facebook.

Esta alegação é falsa, tal como já sinalizou a Associated Press (AP) em artigo de verificação de factos publicado no dia 26 de maio. Na realidade, a Suécia continua a utilizar testes PCR como meio de diagnóstico da infeção por Covid-19.

Mas como é que esta fake news se propagou entretanto nas redes sociais? A origem do equívoco remonta a julho de 2020, quando a Agência de Saúde Pública da Suécia emitiu uma nota informativa que tem sido deturpada e descontextualizada.

"A tecnologia PCR utilizada em testes de deteção de vírus não tem a capacidade de distinguir entre vírus capazes de infetar células e vírus que incapacitam o sistema imunitário e, assim, estes testes não podem determinar se uma pessoa é contagiosa ou não. Os vírus RNA podem frequentemente ser detetados durante semanas (por vezes, meses) após a infeção, mas tal não significa que seja contagioso. Além disso, existem vários estudos científicos que sugerem que a infeção por Covid-19 é mais alta no início do período da doença", indica-se no comunicado.

Trata-se de um esclarecimento sobre os critérios clínicos que podem ser utilizados para determinar quando é que um paciente com Covid-19 deve ser considerado livre de infeção. Os testes PCR conseguem identificar se uma pessoa tem o vírus, mas não se é contagiosa.

De facto, a fiabilidade dos testes PCR não é colocada em causa pela Agência de Saúde Pública da Suécie, nem existe qualquer referência à suposta interrupção da utilização deste meio de diagnóstico no país escandinavo.

De resto, a AP questionou a Agência de Saúde Pública da Suécia que, em resposta, garantiu que "a Suécia não suspendeu a utilização de testes PCR". Mais, informou que naquele país foram efetuados cerca de 350.000 testes PCR entre abril e maio de 2021, acumulando um total de 9,7 milhões de testes desde o início da pandemia.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network