"E num soalheiro domingo de agosto podemos ler no jornal oficial do Chega que a causa do aumento do preço da habitação foi as mulheres começarem a trabalhar. Que sonho, ter estes génios a negociar um Orçamento de Estado e a desenhar políticas públicas", ironiza um "tweet" divulgado este domingo, 27 de agosto,  na renomeada rede social de Elon Musk.

twitter

Em causa um polémico artigo de opinião assinado por Nuno Matias, programador web, e divulgado no "Folha Nacional", uma publicação diária em formato digital que é também propriedade do partido Chega.O texto, cujo título faz prever a sua matriz - "O verdadeiro motivo do preço da habitação" - não é muito longo. Conta a história do próprio autor que decidiu calcular o preço da casa da sua mãe, comprada nova em 1991 por 25 mil euros.

"Caso a vendesse hoje sem ter mais-valias, teria de a vender por 50.750 euros, o que corresponde praticamente ao dobro do valor da compra. Só que as casas em redor não estão a ser vendidas por esse valor mais [sic] pelo dobro desse mesmo dobro, ou seja, por quatro vezes mais o valor da compra", explica Matias.

O autor do texto até assume que se possa pensar que este "segundo 'dobro'" se deve ao "aumento do custo de vida, à inflação ou mesmo a algum motivo relacionado com medidas políticas como é o caso dos vistos gold", mas garante que "nada está mais longe da realidade".

O grande propulsionador da subida dos preços no setor habitacional, escreve, deverá situar-se ali por volta do início dos anos 90, com a "entrada em massa da mulher no mercado de trabalho". Não encontra lógica neste raciocínio? Matias explica: "O preço das casas era calculado para uma família em que apenas um dos progenitores era trabalhador. A entrada da mulher [no mercado de trabalho] fez com que ambos os progenitores estivessem a trabalhar. Ora, aqui houve a grande 'marosca' entre a banca e o mercado imobiliário, ou seja, se um progenitor consegue pagar 'x', então os dois conseguem pagar '2x', ou seja, o dobro."

A "marosca", como lhe chama repetidamente, terá tido efeitos positivos nos setores da banca, imobiliário e até construção civil. "Como a banca e o mercado imobiliário andam da mãos-dadas devido à questão dos empréstimos, a entrada da mulher no mercado laboral serviu como pretexto para duplicar o valor dos imóveis e por conseguinte, a banca, as imobiliárias e a construção civil poderem também ganhar o dobro. Assim se deu o 'boom' do mercado imobiliário nos anos 90", explica o programador.

No "X" (antigo "Twitter"), a teoria foi recebida com algum entretenimento: "Para o Chega, o custo da habitação subiu porque as mulheres começaram a trabalhar. O atrevimento. Malandras"; "Mulheres, o problema da habitação é culpa vossa. Sim, sim, o Chega di-lo e, como sabemos, tudo o que diz é verdade."

O nome de Nuno Matias não surge nas listas dos órgãos do Chega, sendo apenas simpatizante ou possivelmente militante do partido. Ao Polígrafo, o Chega não esclareceu a ligação do autor do texto ao partido, nem se o partido se revê na teoria que este transmite.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.