A publicação na página de Facebook do Partido Socialista (PS) surgiu a propósito da celebração, a 12 de maio, do Dia Internacional do Enfermeiro. Além do agradecimento aos profissionais do setor, o partido revela que desde 2016 existem "mais 9.380 enfermeiros no SNS".

A informação é verdadeira?

O PS apresenta como fonte dos dados apresentados o Portal da Transparência do SNS. O Polígrafo consultou o portal, na categoria "trabalhadores por grupo profissional", onde é possível analisar a evolução do número de enfermeiros no Serviço Nacional de Saúde (SNS) desde 2015 até abril de 2021.

Tal como apresentado no gráfico do post em análise, em janeiro de 2016 o serviço público de saúde contava com 38.909 enfermeiros.

A tendência, nos últimos cinco anos, foi a de um aumento progressivo de profissionais deste setor nos hospitais públicos. Em janeiro de 2021, trabalhavam no SNS 48.739 enfermeiros, mais 9.830 do que em 2016.

Também no dia 12 de maio, o Governo anunciou a publicação de um despacho que prevê a contratação de 2.474 profissionais de saúde, entre os quais 1.366 enfermeiros. São profissionais de saúde com contratos de trabalho sem termo ou por tempo indeterminado em funções públicas e a medida abrange na maioria profissionais que foram contratados no âmbito da Covid-19.

De acordo com o comunicado do Ministério das Finanças, o despacho que foi publicado em Diário da República pretende "dar cumprimento a diversos compromissos assumidos na Lei do Orçamento do Estado para 2021, sendo que a distribuição dos postos de trabalho pelas entidades do SNS será determinada por despacho da Ministra da Saúde, e deverá ser feita preferencialmente por unidades onde existam trabalhadores recrutados ao abrigo do DL 10-A/2020, de 13 de março".

Contactada pelo Polígrafo, Guadalupe Simões, enfermeira e vice-presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), considera que, apesar de se valorizar o aumento referido, "continuamos muito aquém do número de enfermeiros que deveriam existir no SNS".

Segundo as contas do SEP, "deveriam existir mais 20.000 enfermeiros no SNS, do que aqueles que estão contratados atualmente". Para o sindicato, é notória a "carência de enfermeiros que continua a existir nos hospitais e principalmente nos cuidados de saúde primários, bem como nas redes de cuidados continuados".

Segundo as contas do SEP, "deveriam existir mais 20.000 enfermeiros no SNS, do que aqueles que estão contratados atualmente".

"De acordo com as contas do Ministério da Saúde, desde março de 2020 e até agora, foram contratados cerca de 3.500 enfermeiros", aponta Guadalupe Simões que destaca, no entanto, a "situação precária de 2.010 enfermeiros contratados a termo que, apesar de estarem a fazer face a necessidades permanentes dos serviços, não têm garantias de que se vão manter a trabalhar".

Conclui-se que a informação apresentada pelo PS sobre o aumento do número de enfermeiros no SNS nos últimos cinco anos é verdadeira. Apesar de reconhecer o aumento, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses considera que o SNS ainda tem falta de 20.000 enfermeiros.

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network