O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Série “Rabo de Peixe” recebeu “subvenção pública de um milhão de euros”?

Sociedade
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
É neste momento a sétima série da Netflix mais vista do mundo, "Rabo de Peixe" está a fazer sucesso global e nas redes sociais a produção portuguesa é tema de conversa há vários dias. Mas será verdade, tal como se alega no Facebook, que o projeto recebeu "uma subvenção pública de pelo menos 1.132.427,46€"?

“Rabo de Peixe” é a segunda grande produção nacional a integrar o lote de originais da plataforma de streaming Netflix. Estreou a 26 de maio e há vários dias que está a ser destacada em todo o mundo como uma das séries mais vistas em todo o mundo. Conta a história de um naufrágio de um veleiro que transportava cocaína pura e que mudou a vida dos habitantes de uma das localidades mais pobres da Europa – Rabo de Peixe, nos Açores.

Nas redes sociais, muito se tem falado da produção portuguesa e agora há até quem destaque o valor de subvenção pública que lhe terá sido atribuída. “Não vi nenhum episódio da série ‘Rabo de Peixe’. Será até muito boa. Mas a bem da transparência diga-se que a produtora Ukbar Filmes teve, só para este projeto, uma subvenção pública de pelo menos 1.132.427,46€”, alega-se num post de 30 de maio no Facebook.

A informação é verdadeira?

A Inspeção Geral das Finanças (IGF) disponibiliza a lista de subvenções e benefícios públicos concedidos por entidades do setor público a pessoas singulares ou coletivas dos setores privado, cooperativo e social e a entidades públicas fora do perímetro das administrações públicas no âmbito do Sistema Europeu de Contas Nacionais e Regionais.

De facto, na lista do ano passado, 2022, a Ukbar Filmes – Produção de Longas e Curtas Metragens, LDA recebeu 1.132.427,46 euros para a “produção do filme Rabo de Peixe“. A subvenção atribuída integra o “Fundo de Apoio ao Turismo e ao Cinema (FATC)”.

rabo

Em 2022, este fundo teve de ser reforçado com 10,9 milhões de euros, para financiar as 28 produções que tinham ficado de fora do mecanismo de financiamento. “O montante inicial do fundo para 2022 esgotou-se em maio, dada a elevada procura daquele incentivo”, noticiou o Público, que revelou o valor total do fundo após o reforço: 23 milhões de euros.

Os restantes beneficiários do FATC estão listados no registo de subvenções públicas, entre eles, o filme “Velocidade Furiosa 10”, parcialmente rodado em Portugal, que recebeu do fundo mais de dois milhões de euros. Bem como a série portuguesa “Pôr do Sol”, que recebeu cerca de 189 mil euros para o apoio à produção da sua segunda temporada.

__________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque