"Desrespeito e falta de critério. No dia 29 de maio, pelas 08:30 da manhã, uma equipa de Bombeiros Municipais de Loulé deu entrada no Pingo Doce em Loulé, Av. Andrade de Sousa, devidamente fardados e todos com máscara e vacinados com as duas doses. Retiram a senha para o atendimento como todas as outras pessoas que se encontravam no seu interior. Qual foi o meu espanto quando fomos abordados pelo segurança que nos informou que os bombeiros tinham que ficar na rua a ver as outras pessoas entrar e se tinham de beber café seria na rua. Bom, isto seria aceitável se ao menos este hipermercado tivesse atendimento na rua e a sua lotação estivesse ao limite mas não era o caso, continuaram a entrar pessoas. Fomos discriminados em pleno 2021 por um vigilante de hipermercado", descreve-se na publicação.

Será assim?

No dia 29 de maio, um grupo de sete bombeiros municipais desclocaram-se ao Pingo Doce de Loulé, na Av. Andrade de Sousa, mais concretamente à zona da cafetaria. No Facebook, um dos bombeiros visados conta que foram abordados pelo segurança e informados que teriam de beber café na rua.

Contactada pelo Polígrafo, fonte oficial do Pingo Doce explica que "sendo um espaço onde já se estavam a juntar algumas pessoas, inclusive com bebés, o segurança pediu ao grupo maior (neste caso os bombeiros) que aguardassem pelo atendimento um pouco mais afastados".

"A gerência da loja foi chamada ao local pelo grupo de bombeiros e assim que se apercebeu que a situação tinha sido mal interpretada, pediu desculpas ao grupo e lamentou o sucedido", destaca.

O Polígrafo contactou os bombeiros municipais de Loulé que não quiseram dar mais declarações, uma vez que a situação já se encontra resolvida e que a gerência do Pingo Doce apresentou pessoalmente as suas desculpas.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network