"Corona chegou à Rússia, Putin convocou a imprensa: os russos têm duas opções: 15 dias de isolamento ou cinco anos de prisão. Fim da conferência de imprensa", destaca-se em publicação tornada viral no Facebook.

ffff1

Confirma-se? Verificação de factos.

De acordo com a BBC, entrou em vigor na Rússia uma lei que prevê sete anos de pena de prisão para todos aqueles que não cumpram a quarentena e outros morram como resultado. Há também multas pesadas para quem não cumpra a ordem de ficar em casa e uma potencial pena de prisão até cinco anos para quem divulgue fake news potencialmente perigosas sobre a pandemia do novo coronavírus.

O Governo da Federação Russa ordenou em Moscovo, e noutras cidades, o encerramento temporário de todo o comércio, à exceção dos supermercados e farmácias. Toda população é encorajada a ficar em casa, exceto para comprar comida, medicação ou recorrer a serviços médicos. Até à data desta publicação, a Rússia tem 2.777 casos confirmados, 24 mortes e 190 recuperados.

Em suma, e segundo as informações avançadas pela BBC, quem não cumpra a quarentena obrigatória e infete outros, resultando na morte destes, pode ser condenado a sete anos de prisão - e não a cinco. Ou seja, é um facto  que estamos perante uma incorreção, mas a verdade é que o espírito da informação é verdadeiro: o de que Putin decidiu punir com pena de prisão quem "fure" o isolamento.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network