O primeiro jornal português
de Fact-Checking

“Se comprar 250 euros de ações da Galp, o seu lucro pode chegar aos 5 mil euros”. André Ventura disse mesmo isto?

Política
O que está em causa?
A cara e voz de André Ventura estão a ser utilizadas como forma de burla nas redes sociais. Num vídeo que não chega a um minuto, o líder do Chega é visto a sugerir que os portugueses invistam em ações na Galp, mas tudo não passa de um embuste.

“Caros residentes de Portugal: poucos sabem que a maior empresa de gás e energia permitiu que cada residente de Portugal investisse nos projetos mais promissores de produção e comercialização de gás e petróleo. Você pode se tornar um parceiro de pleno direito e co-proprietário da Galp Energia e receber rendimentos dos seus investimentos”. Neste vídeo que circula no Facebook desde 5 de abril, André Ventura caminha em direção à câmara enquanto aconselha os portugueses a adquirir ações da Galp.

“Se você comprar ações da Galp a partir de 250 euros, o seu lucro com a propriedade pode chegar a 5 mil euros e até mesmo exceder esse valor. Isso significa que qualquer pessoa em Portugal tem a oportunidade de resolver todos os seus problemas financeiros e garantir estabilidade e prosperidade não apenas para si mesmo, mas também para sua família”. Ao segundo 34 do vídeo – que não tem sequer um minuto – o líder do Chega passa a comunicar em português do brasil, com um ritmo e tom estranho que denuncia o embuste.

“Não perca tempo. Acesse o site e faça a sua inscrição”, remata, de volta ao sotaque e timbre que os portugueses lhe conhecem.

O vídeo recorre a clipes de André Ventura, mas também a pequenos excertos de bancos de imagens. É um deepfake e o Chega garante que vai agir judicialmente. 

O primeiro sinal é a falta de sincronia entre o áudio e o vídeo, que se encontram apenas em raros momentos. No vídeo original, publicado durante a campanha eleitoral para as legislativas de março, André Ventura dirige-se aos portugueses para alertar, durante uma visita aos Açores, que o Chega estava “incondicionalmente” ao lado dos polícias que se juntavam em protesto junto à Assembleia da República.

Embora o partido não tenha remetido, até agora, qualquer esclarecimento ao Polígrafo, André Ventura já garantira ao “Diário de Notícias” que ia solicitar uma “rápida atuação” às autoridades, uma vez que estes vídeos podem “levar a burlas a pessoas mais vulneráveis”.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque