O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Scarlett Johansson recusou contrato por obrigação de boicote a Israel e disse que não o faria por “nenhuma quantia de dinheiro”?

Sociedade
O que está em causa?
"Sou judia e nenhuma quantia de dinheiro no mundo me tentará a ir contra Israel", terá declarado a atriz norte-americana, justificando assim a suposta recusa de um contrato de publicidade com uma empresa que implicaria boicotar Israel por causa da guerra na Faixa de Gaza. Esta história que tem circulado nas redes sociais tem fundamento?
© EPA / Mohammed Badra

É uma fake news que começou a espalhar-se através de publicações em língua inglesa, com epicentro nos Estados Unidos da América (EUA), e entretanto também chegou e foi adaptada a outros países e línguas, nomeadamente a portuguesa. Sempre com a imagem da atriz norte-americana em causa, Scarlett Johansson, a servir de chamariz.

Num dos exemplos detetados pelo Polígrafo, um post de 15 de junho no Facebook, destaca-se que “a atriz americana de origem judaica, Scarlett Johansson, recusou-se a assinar um grande contrato com uma empresa que lhe pediu para boicotar Israel”.

Teria sido nesse contexto que Johansson proferira a seguinte afirmação: “Sou judia e nenhuma quantia de dinheiro no mundo me tentará a ir contra Israel.”

O facto é que não há qualquer registo público – ou notícia proveniente de um órgão de comunicação social que seja credível – de que Johansson tenha recusado um contrato por implicar um boicote a Israel. O mesmo se aplica à pretensa citação de Johansson.

Aliás, a Reuters questionou Marcel Pariseau, agente da atriz, sobre esta matéria, o qual garantiu que a história difundida nas redes sociais é “totalmente fabricada” e não passa de “lixo da Internet”.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque