"França. Salário mínimo: 1500 mil euros. Bilhete de metro: 1,70 euros. Portugal. Salário mínimo: 665 euros. Bilhete de metro: 1,50 euros", descreve-se na publicação. O objetivo do meme é assinalar a discrepância entre os salários mínimos de França e Portugal e a semelhança de valores entre os respetivos bilhetes de metro.

Os valores estão corretos?

O salário mínimo nacional corresponde atualmente a 665 euros. Ao que tudo indica, será aumentado em 40 euros no próximo ano para os 705 euros, mesmo depois do chumbo do OE2022.

Um bilhete único da Carris e Metro, comprado antecipadamente, tem de facto um valor de 1,50 euros (ou 1,35 se carregado em modalidade zapping). A bordo, os valores já são mais altos: dois euros para autocarro, três euros para elétrico, elevador da Bica, Glória e Lavra 3,80 euros (até duas viagens) e o elevador de Santa Justa 5,30 euros (até duas viagens com acesso ao miradouro). Os utilizadores da Carris podem também optar por bilhetes diários (24h) com valores entre os 6,40 e 10,60 euros.

Em França, a 1 de outubro, o salário mínimo - que tinha um valor de 1554,58 euros - sofreu um aumento de 2,2% devido à inflação, fixando-se agora nos 1589,47 euros.

Quanto aos valores dos transportes na cidade de Paris, e de acordo com a "Régie Autonome des Transports Parisiens" (RATP), o "ticket +", que pode ser utilizado para o metro, comboio e alguns autocarros e funiculares tem um valor unitário de 1,90 euros (se adquirido previamente). Uma diferença de 40 cêntimos face ao valor do bilhete em Portugal.

Em suma, conclui-se que as informações patentes no post são verdadeiras. Aliás, o salário mínimo de França é até superior ao indicado na publicação.

_________________________________

Avaliação do Polígrafo: 

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network