O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Salário médio em Portugal tem crescido “pouco” e “aproxima-se” do salário mínimo?

Economia
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
Sem indicar qualquer fonte de informação, um "post" no Facebook destaca a seguinte alegação, em letras garrafais: "Salário médio cresce pouco e aproxima do mínimo". A culpa é do "socialismo", conclui-se, mas o que podemos concluir a partir dos dados sobre a evolução do salário médio (relativamente ao salário mínimo) nos últimos anos em Portugal?

“Acorda povo português. Salário médio cresce pouco e aproxima-se do mínimo. O xuxalismo faz de ti um miserável… Mas parece que tu gostas”, lê-se no post de 13 de fevereiro no Facebook

Não indica qualquer fonte de informação, mas o facto é que, no dia anterior, o Instituto Nacional de Estatística (INE) tinha divulgado novos dados sobre as remunerações declaradas à Segurança Social e à Caixa Geral de Aposentações.

De acordo com o INE, a remuneração bruta total mensal média por trabalhador (por posto de trabalho) aumentou “1,9% no trimestre terminado em dezembro de 2021 (4.º trimestre do ano), em relação ao mesmo período de 2020, para 1.507 euros”.

Mas o que é que isto significa? O INE esclarece: “Tanto a componente regular daquela remuneração, como a remuneração base subiram 2,3%, atingindo, respetivamente, 1.103 e 1.036 euros. Em termos reais, tendo como referência a variação do Índice de Preços do Consumidor, as remunerações médias total e regular por trabalhador diminuíram 0,5% e 0,1%, respetivamente, e a remuneração base manteve-se inalterada”.

Comparativamente a dezembro de 2020, a remuneração bruta mensal média por trabalhador aumentou 3,4%, para os 1.361 euros, A sua componente regular aumentou 3,1%, para os 1.106 euros. E a remuneração base aumentou 3,0%, para os 1.039 euros.

Segundo o INE, e em relação dezembro de 2020, “os maiores aumentos da remuneração total foram observados nas atividades de agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca (8%), nas empresas de um a quatro trabalhadores (6,1%), no setor privado (2,8%) e nas empresas de indústria transformadora de baixa tecnologia (4,7%). As menores variações da remuneração total foram observadas nas atividades dos transportes e armazenagem (-1,5%), nas empresas de 500 ou mais trabalhadores (-0,9%), no setor das administrações públicas (0,0%) e nos serviços de mercado com forte intensidade de conhecimento (-1,2%)”.

No que concerne ao Salário Mínimo Nacional (SMN), verifica-se que esta evolução não foi transversal às duas remunerações, já que entre 2014 a 2021, a remuneração bruta mensal média total por trabalhador aumentou 16%, para 1.361 euros. No mesmo período, a Remuneração Mensal Mínima Garantida (RMMG) aumentou 37,1%.

Além disso, o salário mínimo (665 euros) representou, no ano passado, 64% do salário médio, a percentagem mais elevada dos últimos anos. Em 2020, 2019, 2018, 2017, 2016 e 2015 essa percentagem foi de 63%, 61%, 61%, 59%, 57% e 55%, respetivamente.

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações “Verdadeiro” ou “Maioritariamente Verdadeiro” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque