"Por incrível que pareça, em 2022 a Rússia continua a ser um dos principais fornecedores da União Europeia, só superada por China e EUA… Dinheiro, dinheiro, dinheiro, o resto é conversa para adormecer burros", realça-se no post de 7 de dezembro no Facebook.

Mostra uma tabela com dados sobre os "principais parceiros comerciais" da União Europeia, de acordo com os quais a Rússia está na terceira posição ao nível das importações (entre janeiro e agosto de 2022), superada apenas pela China e Estados Unidos da América (EUA).

Os dados são Eurostat, serviço de estatística da União Europeia que apresenta também um enquadramento mais amplo do comércio internacional da União Europeia desde 2019.

"O impacto da invasão da Ucrânia pela Rússia levou a mudanças significativas na participação dos principais parceiros por causa das diversas sanções que afetam direta e indiretamente o comércio de petróleo e gás natural. Entre o terceiro trimestre de 2021 e os dados comerciais mais recentes do terceiro trimestre de 2022, a participação das importações da Rússia diminuiu 2,2 pontos percentuais (pp), enquanto a participação das importações da China (-1,6 pp) e da Suíça (-1,0 pp) também diminuiu. No mesmo período, as importações do Reino Unido e dos EUA aumentaram 0,8 pp e 1,0 pp, respetivamente", informa o Eurostat.

Mais, "desde o segundo trimestre de 2020, o aumento dos preços provocou grandes crescimentos no valor das importações de produtos energéticos. Até ao primeiro trimestre de 2022, as importações da Rússia foram as que mais aumentaram, mas nos dois trimestres mais recentes as importações russas decresceram em 6,1 mil milhões de euros. Nesses dois trimestres, as importações do Reino Unido (mais 8 mil milhões de euros) e dos EUA (mais 9,7 mil milhões de euros) aumentaram substancialmente".

Assim, por conta destas variações, "no primeiro trimestre de 2019, a participação da Rússia [no comércio internacional da União Europeia] foi mais do dobro em relação aos EUA e Reino Unido em conjunto. No entanto, no segundo trimestre de 2022 a participação somada dos EUA e Reino Unido foi 1,4 pp superior à da Rússia e essa diferença aumentou para 4,8 pp no ​​terceiro trimestre de 2022. A participação dos outros parceiros cresceu 3,5 pp entre o primeiro trimestre de 2019 e o terceiro trimestre de 2022", detalha.

"Mais recentemente, a participação da Rússia nas importações de produtos energéticos caiu mais de 10 pp, de 25,5% no primeiro trimestre de 2022 para 15,1% no terceiro trimestre de 2022", sublinha o Eurostat.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network