O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Rui Tavares: “O Chega tem servido para ajudar zero pessoas [já que não mudou nenhuma lei]”

Política
O que está em causa?
Na noite de ontem, num painel que juntou PS, PSD, Chega, Livre e Iniciativa Liberal na CNN Portugal, Rui Tavares acusou Diogo Pacheco de Amorim de estar num partido que "não fez nada" pelas pessoas. O argumento é o de que nenhum diploma entregue pelo Chega foi aprovado. E foram muitos só na última legislatura.

Rui Tavares está convencido de que, na realidade, o Chega impactou “zero” a vida dos portugueses. Foi pelo menos isso que disse a Diogo Pacheco de Amorim, ontem à noite na CNN, depois de referir que havia medidas visíveis que as pessoas podiam atribuir a certos partidos: “Gostava que um dia um deputado do Chega conseguisse ver uma pessoa a passar na rua e dissesse ‘eu ajudei aquela pessoa porque há uma lei que mudou por causa do Chega. É que nós sabemos que as pessoas que andam de comboio pagam menos por causa do passe ferroviário.”

O líder do Livre até incluiu o Iniciativa Liberal na equação, mas recusou-se a fazer o mesmo com o partido de André Ventura, ali representado pelo novo vice-presidente da Assembleia da República: “O seu partido tem servido para ajudar zero pessoas e para atrasar a vida política do país como aconteceu ontem.”

Afinal, quantas medidas fez aprovar o Chega na Assembleia da República?

Só na última legislatura, segundo a base de dados do site do Parlamento, o Chega entregou 195 projetos de Lei, sendo aliás o partido que mais diplomas fez entrar na Assembleia da República. Apesar do trabalho exaustivo, apenas um projeto conjunto com todos os partidos – a polémica “lei dos metadados” – foi aprovado. E o Chega absteve-se na especialidade.

Antes disso, no entanto, em 2021 – Ventura ainda estava sozinha na AR -, o Chega conseguiu passar um diploma sobre o alargamento do luto parental. O seu líder pedia o aumento dos dias de luto previstos no Código do Trabalho e o reconhecimento do direito ao luto em caso de perda gestacional. Foi o único documento aprovado de 45 projetos de lei que entraram na Assembleia da República nessa legislatura.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes